domingo, 10 de setembro de 2017

"Popstar" foi uma boa aposta da Globo

Chamado sempre pela Globo de um 'formato original', ou seja, criado pela própria emissora, indo contra a constante compra de formatos estrangeiros, o "Popstar" estreou no dia 9 de julho e chegou ao fim neste domingo, dia 10 de setembro. Durou apenas dois meses. Mas, pode-se constatar que foi um programa despretensioso e cumpriu sua proposta, podendo ter ficado no ar por pelo menos mais um mês se a produção quisesse.


Comandado por Fernanda Lima, o reality utilizou o cenário do extinto "SuperStar" (esse, sim, oriundo de um formato de fora), que também era apresentando por ela. Porém, agora, Fernanda se mostrou muito mais à vontade, deixando o nervosismo (sempre visto na outra atração) de lado. Lembrou até, levando em conta o horário vespertino, seu desempenho no "Amor & Sexo". Talvez porque estava entre amigos e não havia tanta gente competindo, como na disputa entre bandas amadoras.

Os convidados do reality musical, por sinal, foram bem selecionados. Fabiana Karla, Lúcio Mauro Filho, Sabrina Parlatore, Mariana Rios, André Frateschi, Érico Brás, Alex Escobar, Eduardo Sterblich, Cláudio Lins, Murilo Rosa, Rafael Cortez, Marcello Melo Jr. e Thiago Fragoso esbanjaram simpatia e mergulharam de cabeça no objetivo do programa, deixando qualquer constrangimento de lado.
Alguns claramente nunca tiveram uma experiência na música, como Murilo e Alex (os mais desafinados), mas, ainda assim se propuseram a arriscar. Já outros eram bem mais profissionais, como André, Mariana e Cláudio, fazendo sempre apresentações irrepreensíveis. Não por acaso, inclusive, os três foram para a final.

E, claro, que essa certa discrepância entre os candidatos deixou um aparente clima de 'injustiça' com os que não se dividiam entre canto e atuação/apresentação. No entanto, ficou apenas a impressão mesmo. Afinal, é preciso lembrar que Marcello Melo é um dos vocalistas da banda Melanina Carioca e foi um dos piores competidores, desafinando sempre. O próprio Rafael Cortez faz apresentações musicais e lançou até um CD, mas também não foi feliz na disputa. Portanto, ser mais experiente no ramo musical não significou muito.

O juri rotativo acabou sendo um acerto do programa, embora a presença de dez jurados tenha se mostrado excessiva. Muitos nem conseguiam tempo para falar, pois havia muita gente para analisar as performances. Cinco ou seis pessoas já estava de bom tamanho. E entre os destaques estiveram Ana Carolina, Maria Rita, Samuel Rosa e Paula Toller. Esses três merecem todos os elogios pela coragem nas análises, não se preocupando com as vaias do público durante as críticas. Mereciam ser fixos. Baby do Brasil, Fafá de Belém e Elba Ramalho também merecem menção, pois fizeram comentários bem embasados, ainda que tenham quase sempre elogiado todos.

Aliás, a plateia foi o ponto negativo da atração. A ideia de levar grupos de torcedores de cada participante foi um tiro no pé. Mal educadas, as pessoas não toleravam qualquer crítica e vaiavam qualquer jurado que ousasse criticar ou não dar o seu voto. Parecia que todos ali eram artistas completos e baita cantores. Mas, não eram mesmo. Ou seja, isso acabava intimidando muitos jurados, que optavam pela 'rasgação de seda', ou então mentiam dizendo que 'haviam se esquecido de apertar o botão'. Teria sido bem mais produtivo deixar uma plateia única e sem torcida organizada.

A final primou pela justiça, honrando os desempenhos de Mariana Rios, André Frateschi, Sabrina Parlatore, Cláudio Lins e Lúcio Mauro Filho. Todos fizeram grandes apresentações ao longo do mês e mereceram a classificação para o prêmio de R$ 250 mil e um carro. Já Eduardo Sterblich também marcou presença, mas não merecia. Foi uma exceção. Ele muitas vezes optou pelo deboche e Fabiana Karla era uma candidata mais pronta. Entretanto, o humorista não fez feio e conseguiu empolgar os jurados. O lado positivo disso tudo foi a representação dos gêneros na final. Mariana defendia o Pop, Sabrina representava a MPB (junto com Cláudio), enquanto Lúcio e André eram os roqueiros. Ou seja, ritmos que andam bem desvalorizados ultimamente no Brasil. Valeu demais ouvir tanta música boa ao longo da disputa, levando seus intérpretes para a grande decisão. A vitória de André foi merecidíssima.

O "Popstar" não passou de um Karaokê com famosos bem produzido. Mas, não é um demérito. Conseguiu entreter o público e foi uma ótima opção para as tardes de domingo, se contrapondo aos produtos apelativos e sensacionalistas da concorrência. Tanto que se manteve na liderança isolada --- algo que o extinto "SuperStar" nem sempre alcançava. O êxito da atração implicou em uma segunda temporada encomendada para o ano que vem e resta torcer para que mantenha os pontos positivos, corrigindo os pequenos erros.

17 comentários:

Joana Limaverde disse...

André Frateschi tava merecendo muito ganhar. Torci por ele!

Anônimo disse...

AMEI O ANDRÉ CAMPEÃO!!!!!!!!!!!

CSS disse...

Fabiana canta muito mal, desafinava,alem do mais ela quase obrigava os jurados votar nela
Edu fazia deboche nao era programa de humor e sim de música platéia mal educada jurados nao tinham pulso firme,salvo algumas excessoes.

Camila disse...

Eugostei muito do programa e realmente era uma alternativa a essas porcarias sensacionalistas da Record ou SBT. Pena que acabou. Podia ter durado mais.

Luli Ap. disse...

Olá Sérgio
Não assisti tudo, mas gostei do que vi.
Confesso que no início pensei siiiiiim que era meio injusto alguns com experiencia e outros que não cantavam nadinha rsrsrs mas como vc bem disse curiosamente isso não fez diferença no resultado final.
Fernanda Lima diva estava excelente e conduziu muito bem a apresentação.
Os jurados que re revezaram também mandaram muito bem.
Uma proposta que se não é original foi muito acertada e despretensiosamente embalou as tardes de domingo com musicalidade.
Torci para a Mari Rios <3 mas apesar de não ser TeamAndré gostei tb que ele ganhou!
Excelente semana pra ti
Bjs Luli
Café com Leitura na Rede

Debora disse...

Olá Sérgio tudo bem???


assisti poucas apresentações desse programa, mas confesso que gostei bastante... Tudo muito bem feito, melhor que muito programa de música que vemos por aí!!!



Beijinhos;
Débora.
https://derbymotta.blogspot.com.br/

Fernando Oliveira disse...

Uma pena Cláudio Lins e Mariana Rios terem perdido. Mas foi muito bom ver Eduardo Sterblitch fazendo chacota com a cara da sociedade. Alex Escobar e Rafael Cortez não ficaram de fora e também fizeram o povo perder tempo.

Malu disse...

Também gostei do conjunto. No começo achei meio forçação de barra mas comecei a acompanhar com minha mãe e agora ficou até um gostinho de quero mais. Murilo Rosa realmente era o mais desafinado, mas me decepcionei um pouco com Marcello Melo Jr. que achei que fosse arrasar e acabou que não gostei 100% de nenhuma apresentação dele, mesmo dançando e "sensualizando". Eduardo Sterblitch e Rafael Cortez eu sou suspeita pra falar já que sempre detestei os dois em seus ex programas (pânico e cqc), e continuo não gostando deles na globo (amor&sexo e vídeo show). Dispensáveis, no entanto não comprometeram meu divertimento. Já Érico Brás e Alex Escobar não eram tão bons mas eu gostava dos dois, me divertiram. Gostei também de como Marcella Rica e Sabrina Parlatore se mantiveram em seus estilos mesmo que não agradassem alguns jurados ou o grande público, e são duas queridas. Fabiana Karla e Thiago Fragoso não foram nada mal, mas também não foram espetaculares como lhes pintaram, ela principalmente. Adorei também o Lúcio Mauro Filho e o Cláudio Lins, gostava do repertório e do carisma deles. Aliás, o vencedor André também tinha um repertório muito bom, uma presença de palco maravilhosa e um talento inegável, e aliás não sabia que ele era filho da eterna Dona Mocinha, Denise Del Vecchio, gostei de vê-la na Globo nem que seja dessa forma. Mariana Rios, claramente também se destacou e mostrou versatilidade. Gosto muito dela!

Germana Araújo disse...

Olá Sérgio!!
Não acompanhei o Popstar, vendo só algumas apresentações soltas, mas até que gostei do que vi. Achei bem despretensioso, eles pareciam estar se divertindo e isso acaba divertindo quem assiste também.
Pensei que a Mariana Rios seria a campeã, por causa da torcida na internet (e do enorme talento dela, claro), mas gostei da vitória do André Frateschi; ele também canta muito bem e eu apreciei bem mais o repertório dele.
No mais, é isso. Abraços!!

Sérgio Santos disse...

Tava msm, Joana!

Sérgio Santos disse...

Tb,anonimo.

Sérgio Santos disse...

Respeito sua opinião, CSS.

Sérgio Santos disse...

Luli, ótimo comentário. Tenha uma linda semana. bjs

Sérgio Santos disse...

Foi bacana, Debora.

Sérgio Santos disse...

Ok, Fernando

Sérgio Santos disse...

Malu,ele é filho da Denise com o Celso Frateschi, o eterno Ezequiel de O Beijo do Vampiro. Tb estranhei no começo, maas o conjunto ficou mt legal.

Sérgio Santos disse...

Germana, bom te ver de volta e desculpe a demora em respondeer. bjsssss