quinta-feira, 30 de março de 2017

Pierre Baitelli precisava apenas de uma oportunidade e ganhou com o Antônio em "A Lei do Amor"

A vida de um jovem ator não é fácil. Mas de atores de verdade. Aqueles que lutam por amor às artes cênicas e não porque querem aparecer na televisão. Muitos buscam um lugar ao sol através de peças de teatro com infraestrutura precária e retorno financeiro quase nulo. Alguns conseguem ótimas oportunidades em "Malhação", dando um bom pontapé inicial na carreira. Já outros seguem batalhando, sem maiores chances. E um ator brilhou em "A Lei do Amor", abraçando a maior oportunidade que ganhou até agora. Seu nome é Pierre Baitelli.


O intérprete do Antônio finalmente teve a chance de mostrar o seu talento na atual novela das nove e se destacou na pele de um dos personagens mais espirituosos do folhetim de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari. O perfil começou timidamente na segunda fase, mas logo foi mostrando força, destacando o ator e crescendo na história. Ele tem como principal característica a autopiedade, em virtude de suas constantes frustrações amorosas, e adora rir de suas 'desgraças'. Tem um humor refinado, além de transbordar integridade. Lembra bastante, inclusive, o Nolan Ross (Gabriel Mann), da série americana "Revenge". Os atores até se parecem fisicamente.

Filho da oportunista Gigi (Milla Moreira), o rapaz sempre foi melhor amigo da mimada Letícia (Isabella Santoni) e nutria um amor não correspondido por ela. Chegou a ficar no meio do triângulo amoroso da amiga, pois também é parceiro de Tiago (Humberto Carrão) e era de Isabela (Alice Wegmann).
Apesar da situação delicada, Antônio conseguia se sair bem das saias justas, servindo de conselheiro e ombro amigo de todos. Já a sua vida amorosa, após um longo período solteiro, ficou voltada para o relacionamento com Ruty Raquel (Titina Medeiros), proporcionando divertidas cenas a cada encontro.

O rapaz ainda tentou se aproximar do pai, o advogado Olavo (Tatu Gabus Mendes), com quem não tinha relação alguma. Essa outra situação também explorou o lado cômico do papel, uma vez que suas tentativas de iniciar um laço afetivo eram sempre impagáveis e muito forçadas. Ou seja, analisando o conjunto, era um papel que dependia do talento do ator para crescer. Antônio era um perfil coadjuvante e muitas vezes 'escada' dos demais, porém, teve um enredo próprio para destacá-lo quando necessário. No caso, a necessidade começou a ficar maior a cada semana, graças ao desempenho do intérprete. Não à toa ele cresceu, se mostrando um dos personagens mais atrativos do enredo. Tanto que muitas vezes exerceu melhor a função da parte cômica do folhetim do que perfis de mais destaque, como a vidente Mileide (Heloísa Périssé), por exemplo.

Infelizmente, o perfil acabou sofrendo com as constantes mudanças no roteiro e teve sua importância diminuída nos dois últimos meses de novela. Em meio a tantos personagens que viajaram, mudaram de personalidade ou morreram, Antônio foi um dos poucos que se mantiveram fiéis ao objetivo inicial do enredo. Entretanto, Maria Adelaide e Vincent se equivocaram quando acabaram com o par formado com Ruty Raquel, pois não conseguiram fazer de uma forma crível. O rompimento foi forçado, depois de um bom tempo com ambos protagonizando situações repetitivas. Apesar disso, a aproximação dele com Letícia proporcionou cenas bonitinhas do novo casal, embora tenha sido uma solução claramente improvisada dos autores.

É preciso elogiar, por sinal, a criativa homenagem dos autores ao sucesso "Mulheres de Areia" na formação do relacionamento amoroso de Antônio. Afinal, ele tentava conquistar Ruty Raquel (as gêmeas vividas por Eva Wilma na primeira versão e Glória Pires na segunda) e o verdadeiro nome do inesquecível Tonho da Lua (interpretado pelo saudoso Gianfrancesco Guanieri na primeira versão e Marcos Frota na segunda) é Antônio. Maria Adelaide e Vincent são mestres na metalinguagem e esse é um dos muitos exemplos da dupla de escritores. Os atores tiveram uma deliciosa parceria.

Pierre Baitelli é formado em artes dramáticas e estreou na televisão em 2008, vivendo o Escobar da minissérie "Capitu", dirigida por Luiz Fernando Carvalho. Voltou em 2009 como o sarcástico Carlo, um homossexual que lidava bem com sua sexualidade na minissérie "Cinquentinha", de Aguinaldo Silva. O personagem também esteve em "Lara com Z" (2011), espécie de continuação da produção anterior. Interpretou o Douglas na problemática temporada de 2011 de "Malhação" e em 2013 esteve no sucesso "Amor à Vida", vivendo o médico Laerte. Todos esses personagens eram pequenos, mas, apesar disso, o ator mostrava potencial para um maior destaque. Demorou bastante para a oportunidade chegar, mas veio agora.

O boa praça Antônio foi o melhor momento do intérprete em sua carreira televisiva e o destaque do personagem foi muito merecida. "A Lei do Amor" se perdeu em inúmeros aspectos, mas Pierre Baitelli finalmente ganhou um papel que faz jus ao seu bom desempenho. Que esse trabalho seja apenas o primeiro de muitos outros que virão, pois o ator tem talento de sobra.

23 comentários:

Camila disse...

Que grata surpresa esse texto! Ele merece. Tomara que leia!

Zyon disse...

Ele foi um dos poucos acertos da novela. Adorei o Antonio!

Anônimo disse...

Ele e Ruty Raquel era ótimo mas até isso os autores destruíram.Parabens pelo texto.

Samara disse...

Ele parece mesmo o Gabriel Mann! Nunca reparei!

Gustavo Nogueira disse...

Concordo totalmente Sérgio.Eu lembro do Pierre Baitelli em Amor à Vida vivendo o médico Laerte e não dava nada por ele.Em A Lei do Amor ele me surpreendeu, está ótimo no papel e o seu Antônio é um dos poucos personagens cativantes dessa novela.Mas apesar disso a sua trama com a Ruth Raquel(nunca vi graça no casal) foi jogada no lixo, com uma separação super forçada e a sua aproximação com a Letícia se deu apenas na reta final, poderia ter acontecido muito antes.Aliás ela deveria ter se envolvido com o Antônio quando descobriu a primeira traição do Tiago, não precisava passar por aquele casamento ridículo, um outro erro dos autores.

Raquel disse...

Alguém ainda torce pro Tiago ficar com a Marina/Isabella? Não consigo entender o pq da necessidade de juntarem a Letícia com outro.

Não que eu quisesse que a Letícia perdoasse o cachorro do Tiago, mas pra que fazer ele terminar com a Marina/Isabella e ter que colocar o Antonio com a Letícia? Fizeram o maior troca-troca de casais só pra acomodar essa solução. Achei desnecessária.

Debora disse...

Olá Sérgio tudo bem???


Também achei ele a cara do Nolan!!!



Beijinhos;
Débora.
http://derbymotta.blogspot.com.br/

Bianca disse...

Adorei o texto. Pierre merece! Ele é muito talentoso, lembro dele na Malhação.

Cassandra disse...

Vc um dos melhores críticos que existem.Queria reafirmar isso aqui.Uns podem até tentar te copiar, mas JAMAIS SERÃO!

Adriana Helena disse...

Boa noite meu querido amigo Sérgio!

Então Pierre Baitelli , este é o nome!!
Que rapaz talentoso!!
Assisto à novela mais por causa dele e me encantei com a maravilhosa interpretação que ele trouxe às cenas!!
Antonio arrasou e trouxe veia cômica em momentos tão soturnos!!

Adorei seu artigo amigo, como sempre, impecável!!
Tenha um final de semana maravilhoso!!
Beijos!!!!

Germana disse...

Olá Sérgio!!
Parabéns pelo texto, concordo plenamente!
Acho que o único trabalho que eu realmente assisti do Pierre Baitelli foi Capitu (não consigo lembrar dele em Amor à Vida, e os outros realmente não vi) e, apesar de ser uma participação realmente pequena, dava pra notar que ele era muito bom.
O Antônio é, de longe, meu personagem favorito de A Lei do Amor, apesar de ter decaído um pouco quando passou a viver em função da Letícia. De um cara que era divertido, irônico e romântico na medida certa (além de ser dono das melhores tiradas da novela), ele passou a um idiota apaixonado e monotemático (o que foi aquela briguinha com o Tiago um pouco antes da Letícia descobrir o sequestro da Helô? Ridícula). Mesmo assim, gosto muito do casal, embora concorde que ele poderia ter sido realizado antes; ficaria mais fácil de aceitar e daria mais gosto de torcer.
No mais é isso. Abraços!!

Germana disse...

*participação relativamente pequena

porlapazyporlavida lc disse...

Oi Zamenzito, assiste os primeiros meses de a lei do amor e depois só via um vídeo ou outro, mas se tem um personagem que gostava era o Antônio. Muito gente fina e o ator estava maravilhoso. Que venham mais papéis pra ele. Vi o último capítulo e ele e Letícia podiam ter formado um belo par se desenvolvido antes.

Sérgio Santos disse...

Que bom que curtiu, Camila.

Sérgio Santos disse...

Idem, Zyon.

Sérgio Santos disse...

Eu gostei dele de cara em Cinquentinha, Gustavo. Pena que tenha demorado tanto pra um bom papel. Agora que venham outros.

Sérgio Santos disse...

Isso tudo foi ridiculo, Raquel.

Sérgio Santos disse...

Se parecem mt, Debora!

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Bianca.

Sérgio Santos disse...

Mt honrado em ler isso, Cassandra.

Sérgio Santos disse...

Ele é ótimo, Adriana. Mt obrigado pelo seu carinho de sempre. bjs

Sérgio Santos disse...

Concordo, Germana.

Sérgio Santos disse...

Poderiam msm, porlapazyporlavida lc !