segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Feliz Ano Novo!



Quero desejar um ótimo 2013 a todos os leitores do De Olho nos Detalhes. Esse blog começou no final de 2010, e desde então conheci muita gente bacana. Antigamente postava um texto por semana. Depois passei a escrever dois posts e, com o aumento do número de leitores e amigos, fui postando bem mais opiniões a respeito de todos os detalhes da tevê. Desejo a todos que me acompanham desde o início, e a todos os demais que foram chegando, um excelente ano, com muita paz, sucesso e saúde! Que em 2013 tenhamos muitas novelas, séries e programas para comentar. Até o ano que vem!

domingo, 30 de dezembro de 2012

Retrospectiva 2012: os destaques do ano

Após selecionar o que tivemos de pior na televisão, nada mais justo do que apresentar o que esse meio de comunicação teve de melhor em 2012. E, ainda bem, o telespectador foi presenteado com excelentes produções ao longo do ano que está terminando. O Brasil congelou e aplaudiu várias séries e novelas que fizeram sucesso merecidamente. Assim como ocorreu na lista dos piores do ano, não houve votação popular e esse que vos escreve foi o responsável pela seleção. Então, vamos ao que interessa.




Avenida Brasil: As chamadas iniciais já anunciavam a estreia de uma produção que tinha tudo para dar certo. E deu. João Emanuel Carneiro escalou um grande elenco e conseguiu contar uma excelente história de vingança onde mocinha e vilã se enfrentavam usando as mesmas armas. O país parou para ver Nina, Carminha e toda a turma do Divino. Ágil, recheada de suspense e cenas tensas, a novela caiu na boca do povo e atingiu uma repercussão que há tempos não se via. A direção foi outro ponto positivo, assim como o fato de todos os atores poderem se destacar, uma vez que o elenco não era tão numeroso. A trama ainda lançou expressões que caíram na boca do povo: "Oi Oi Oi", "É tudo culpa da Rita", "Eu quero vê tu me chamar de amendoim" e "Me serve, vadia" foram alguns bordões que marcaram. A novela deixou saudades e foi o grande fenômeno de 2012.


Cheias de Charme: A novela dos estreantes Filipe Miguez e Izabel de Oliveira foi um sucesso. Colorida e alegre, a trama misturou música e dramaturgia de uma forma genial. Com um bom elenco principal, a história das Empreguetes e a rivalidade com a hilária e espalhafatosa Chayene agradou logo de cara. Não demorou muito para que os hits cantados na história estourassem também na vida real. Os autores ainda foram muito felizes ao utilizar a internet como uma aliada. Exibir o clipe das protagonistas primeiramente no site da novela, para só depois colocarem na trama, foi uma sacada de mestre. Apesar da longa barriga que

sábado, 29 de dezembro de 2012

Retrospectiva 2012: os piores do ano

O ano de 2012 está acabando, e esse blog fará uma grande retrospectiva do que tivemos de melhor. Mas primeiramente é necessário fazer uma lista com os erros e os grandes constrangimentos ocorridos em nossa televisão no ano que passou. Não foi feita uma votação popular. Eu mesmo fiz a lista e fiquem à vontade para discordar ou concordar. Então vamos lá.




Encontro com Fátima Bernardes: Cercado de expectativas, o programa acabou sendo uma grande decepção. Após a saída da jornalista da bancada do Jornal Nacional, muito se especulou a respeito de seu novo programa que seria exibido na grade matutina. Como a atração demorou muito para ir ao ar, o telespectador e a crítica começaram a achar que seria algo revolucionário. Mas era apenas mais um programa de entrevistas, com uma plateia bastante tediosa e alguns famosos que são chamados para palpitar sobre assuntos quase sempre irrelevantes. E Fátima, apesar de ter melhorado, ainda está muito ansiosa e passa a impressão de que está querendo que todos falem rápido para o programa acabar logo. Costuma sempre interromper os convidados, irritando quem assiste.


Casseta & Planeta Vai Fundo: O humorístico da Globo voltou sem ter deixado saudades. E para piorar, os humoristas fizeram questão de dizer que fariam um programa totalmente reformulado e diferente. Era mentira. As mesmas piadas de duplo sentido e quadros que perderam a graça há tempos haviam voltado. Ainda resolveram insistir no erro, criando uma segunda temporada. Ao menos, a emissora acordou e cancelou a atração,

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Doce de Mãe: o maior acerto do fim de ano da Globo

A primeira impressão foi a melhor possível, desde que começaram a ir ao ar as chamadas de "Doce de Mãe", especial de fim de ano da Globo. Afinal, era Fernanda Montenegro vivendo uma vovó que parecia ser bem divertida. Pois as perspectivas se confirmaram assim que o especial estreou, nessa quinta-feira (27/12). O telefilme produzido pela Globo em parceria com a Casa de Cinema de Porto Alegre foi maravilhoso do início ao fim e fez rir com muita facilidade.


Dirigido por Jorge Furtado e Ana Luiza Azevedo, o filme produzido especialmente para a televisão, contou a história de Dona Picucha, uma senhora de 85 anos totalmente sem noção e hilária, que reúne os quatro filhos para anunciar que a sua empregada (Zaida -Mirna Spritzer), com quem mora há 27 anos, vai se casar e se mudar. Claro, os filhos ficam em pânico, porque não sabem como lidar com essa situação inesperada e nem como decidir com quem a mãe irá ficar. Mas Picucha não quer ficar com ninguém. Quer apenas viver e ser feliz.

Os filhos primeiramente decidem contratar uma nova empregada, mas quando a mesma leva a matriarca para um pagode, eles acabam mudando de ideia e todos concordam em se revezar para cuidar da mãe. Todas essas cenas foram engraçadíssimas e os atores protagonizaram grandes momentos. O elenco, aliás, é digno de

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Cheias de Charme e Avenida Brasil ofuscam Roberto Carlos Especial e Vídeo Show Retrô

Nessa última semana de 2012, a Globo está apresentando seus especiais de fim de ano. O |"Roberto Carlos Especial" é um tradicional programa da casa e sempre é exibido na noite de Natal. Já o "Vídeo Show Retrô" surgiu há menos tempo, porém, acabou se fixando na grade e tem a função de mostrar os destaques das novelas e séries do núcleo de entretenimento da emissora. Nada haveria de surpreendente nessas duas atrações; entretanto, o telespectador pôde perceber que "Cheias de Charme" e "Avenida Brasil" mais uma vez dominaram as atenções e acabaram se sobressaindo, ofuscando os especiais que as exibiram. 


O show de Roberto Carlos não costuma inovar nas músicas e, sim, nas parcerias que o rei promove. Mantendo quase sempre o mesmo repertório musical, as apresentações solo do cantor costumam ser previsíveis, embora ainda façam muito sucesso. Afinal, ele não é rei à toa. Porém, o momento mais esperado do show não foi sua apresentação com Michel Teló, Arlindo Cruz ou Seu Jorge. O público estava esperando mesmo era a aparição das Empreguetes, ao lado de Chayene e Socorro. Aliás, essa era a única notícia que havia sido amplamente publicada em sites e jornais sobre o especial de Roberto Carlos. 

Pois não deu outra. Assim que o quinteto apareceu, a plateia presente aplaudiu bastante e o público de casa vibrou. Taís Araújo (Penha), Isabelle Drummond (Cida), Leandra Leal (Rosário), Titina Medeiros (Socorro) e Cláudia Abreu (Chayene) não escondiam a felicidade de viver novamente essas personagens que fizeram tanto sucesso e ficaram totalmente

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Globo erra ao transformar "Xingu" em microssérie

A Globo transformou "Chico Xavier" e "O Bem Amado", filmes que foram um sucesso de bilheteria, em microsséries de quatro episódios. Os exibiu em 2011 e o público percebeu que foi apenas uma divisão do filme em capítulos. As cenas foram quase as mesmas, com alterações praticamente imperceptíveis. A emissora resolveu fazer a mesma coisa com "Xingu", um longa-metragem que não fez o mesmo sucesso que as duas produções anteriores --- apesar de ter alcançado 500 mil telespectadores, esperava-se muito mais ---, e estreou a série em plena terça-feira natalina, após o especial do Roberto Carlos.


Em 1944, os irmãos Orlando (Felipe Camargo), Cláudio (João Miguel) e Leonardo (Caio Blat) Villas Bôas se alistaram na expedição Roncador-Xingu para facilitar o processo de interiorização do Brasil. Embora a intenção inicial fosse viver apenas uma aventura, acabaram se envolvendo em várias experiências marcantes e viraram os maiores defensores dos costumes indígenas do país. A história desses lutadores, e que posteriormente foram os criadores do Parque Nacional do Xingu, foi contada nos cinemas pelo diretor Cao Hamburguer. Agora, ao estrear o formato de microssérie na televisão, contou com a ajuda do experiente Guel Arraes, diretor de núcleo da Globo.

Quem ainda não viu o filme, pôde acompanhar as belas imagens e as grandes atuações do trio protagonista no primeiro capítulo. Felipe Camargo, João Miguel e Caio Blat são ótimos atores e a escalação não poderia ter sido melhor. Porém, é bom o telespectador não esperar

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Feliz Natal



Gostaria de desejar um feliz Natal a todos os leitores que sempre visitam o "De Olho nos Detalhes". Tanto aos que apenas leem os textos, quanto aos que fazem questão de interagir e comentar nas postagens. Que vocês e seus familiares tenham um Natal repleto de saúde, paz e alegrias. Obrigado por prestigiarem este espaço.

sábado, 22 de dezembro de 2012

2012: um ano para a Record esquecer

O mundo não acabou e os Maias erraram a previsão que gerou inúmeras piadinhas nas redes sociais. Mas se por um lado o apocalipse não chegou, por outro pode-se dizer que 2012 foi um ano para a Rede Record simplesmente apagar de sua memória. Estreias fracassadas, audiência em baixa, produções equivocadas, vice-liderança abalada, crise financeira, demissões e situações que transformaram o jornalismo da empresa em uma piada de mal gosto. Foram muitos os fatores que deixaram a emissora em uma péssima situação no ano que está prestes a terminar.


O ano parecia promissor para a emissora dos Bispos, afinal, tinham conseguido comprar os direitos de transmissão das Olimpíadas e com exclusividade. Um verdadeiro carnaval foi feito em cima desse fato. Várias ironias direcionadas à Globo, propagandas a todo instante se vangloriando da compra, enfim. No entanto, o resultado passou longe do que era esperado pela empresa. As Olimpíadas de Londres não conseguiram deixar a Record líder em audiência e muitas vezes a colocava até em terceiro lugar. Para piorar, uma gafe de Ana Paula Padrão --- onde a jornalista diz que está apresentando o "Jornal da Globo" e não o "Jornal da Record" ---  foi parar em todos os sites, gerando uma situação constrangedora para a vice-líder.

Outro grande fiasco do ano foi a novela "Máscaras". Escrita por Lauro César Muniz, a trama abusou das novidades dramatúrgicas e o resultado foi um desastre. A história precisou ser encurtada e os índices de audiência foram os piores obtidos pela emissora no ramo da teledramaturgia. Para aumentar o desespero, a novela substituta, "Balacobaco", não tem

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Ernani e Kátia ensinaram como aproveitar a vida, enquanto que Danton Mello e Alinne Moraes divertiram e emocionaram o público em "Como Aproveitar o Fim do Mundo"

Hoje acabou a saga de Ernani e Kátia. "Como Aproveitar o Fim do Mundo" chegou ao fim e Alexandre Machado e Fernanda Young mais uma vez conseguiram apresentar aquele sarcasmo que já virou a principal característica da dupla. Mas entre os acertos da série, pode-se dizer que a escolha do casal protagonista foi o maior deles. Danton Mello e Alinne Moraes corresponderam e protagonizaram sequências divertidíssimas, além de terem conseguido emocionar no último episódio.


A quantidade de cenas sem sentido algum é grande nas produções de Alexandre e Fernanda. E para que as situações fiquem realmente cômicas, é imprescindível que se escale corretamente os protagonistas. Os autores arriscaram muito dessa vez ao optarem por Alinne e Danton. Ambos não estavam acostumados a interpretar tipos cômicos. Ela sempre viveu mulheres com uma alta carga dramática e ele era caracterizado pelos mocinhos românticos. Entretanto, logo que o primeiro episódio foi ao ar, já deu para perceber que as escolhas foram certeiras.

Após se destacar em diversos tipos dramáticos e que nunca sequer passaram perto da comicidade, Alinne Moraes provou que também tem talento para a comédia. Kátia foi a melhor personagem do seriado e era a responsável pelo controle da situação. Ela levava seu amigo, que depois virou namorado, para viver tudo quanto era tipo de aventura, por mais esdrúxula que fosse, antes do mundo acabar. As frases proferidas pela

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Conflitos amorosos do quarteto central e tramas verossímeis fazem da atual Malhação uma ótima opção para os jovens

A primeira impressão foi a melhor possível. Assim que estreou a vigésima temporada de "Malhação", observou-se que a fase estava com a cara do universo jovem. Atores realmente jovens escalados para interpretar adolescentes, trilha sonora muito bem escolhida e histórias que prometiam boas situações. Agora, após alguns meses no ar, constata-se que a primeira impressão causada, nesse caso, estava correta e não era uma propaganda enganosa.


A trama de Rosane Svartman e Glória Barreto é leve, sem ser boba. As histórias apresentadas são verossímeis e causam identificação nos jovens. As gírias, as diferentes formas de se expressar, as características dos personagens, enfim, tudo é tão bem criado e executado que os atores nem parecem que estão interpretando. O telespectador tem a sensação de que está bisbilhotando a vida de toda aquela turma através do buraco da fechadura.

O conflito amoroso protagonizado pelo quarteto central tem despertado a paixão e a torcida dos adolescentes. Gil (Daniel Blanco), Lia (Alice Wegmann), Dinho (Guilherme Prates) e Ju (Agatha Moreira) já viveram inúmeras situações, com direito a muita 'pegação'. Gil gosta de Lia, que gosta de Dinho, que gostava de Ju, mas que passou a gostar de Lia. Nessa confusão toda, ju e Gil acabaram se beijando. E o mais interessante disso tudo é

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Tapas & Beijos perdeu sua identidade em 2012 e precisará reencontrá-la em 2013

A série de Cláudio Paiva agradou logo que foi exibida pela primeira vez, em 2011. Tanto que não demorou muito para que decidissem mantê-la na grade global por um longo tempo. Dirigida por Maurício Farias e protagonizada por Andrea Beltrão e Fernanda Torres, "Tapas & Beijos" ainda faz muito sucesso e já teve sua terceira temporada confirmada para o ano que vem. No entanto, pelo que foi visto em 2012, o seriado perdeu sua identidade e precisará de mudanças.


A história sempre se baseou na vida de duas solteironas que são vendedoras de uma loja de vestido de noivas. Ambas se envolviam em relacionamentos sem futuro e viviam frustradas, pois nunca conseguiam achar a alma gêmea; havendo assim um contraponto em relação ao fato de trabalharem em um local que se sustenta graças aos casamentos de terceiros. Porém, no final da primeira temporada, Fátima (Fernanda Torres) e Sueli (Andrea Beltrão) se casaram com seus respectivos namorados. Assim, na segunda, em 2012, a série mudou o foco, e passou a retratar os conflitos da vida conjugal que ambas enfrentavam.

No início, parecia que haviam acertado em cheio ao apresentar essa novidade ao telespectador. No entanto, com o passar dos episódios, se pôde notar que as alterações não foram benéficas para a série. A entrada de Fábio Assunção (Jorge) foi ótima, mas, infelizmente, acabou ofuscando personagens que já tinham ocupado um considerável espaço na história; Seu Chalita e Jurandir. Flávio Migliaccio e Érico Brás viraram

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Com uma justa vitória de Ellen Oléria, The Voice Brasil encerra sua primeira edição e se consagra como o melhor reality musical do país

Nesse domingo (16/12), com uma final muito bem produzida e uma merecida vitória de Ellen Oléria, o "The Voice Brasil" apresentou o último programa do ano, encerrando sua primeira edição. Tendo oito cantores na disputa derradeira, onde apenas quatro foram selecionados pelos respectivos técnicos para disputar a votação popular, a atração fez jus ao sucesso alcançado e os telespectadores puderam prestigiar a finalíssima do reality que virou mania nacional. 


A final pode até ter sido previsível para todos os que não acompanham realities, mas os que acompanham sabem que nem sempre o melhor vence e muitas vezes triunfa quem tem fãs mais empenhados. Portanto, a consagração de Ellen Oléria deve ser comemorada. A cantora de Brasília sempre foi superior aos concorrentes. Sua maestria no palco era vista a cada apresentação, a cada programa, a cada fase. E a vitória de Ellen, com 39% dos votos, ainda merece ser aplaudida, uma vez que se trata de uma quebra de preconceitos, ainda tão presentes em nossa sociedade: venceu uma negra, gorda e lésbica. Venceu a melhor voz do programa! As concorrentes eram de peso e também mereciam. Os índices das demais não foram divulgados, mas, segundo consta na comunidade oficial do programa, Ju Moraes teve 30%; Liah 21% e Maria Christina 10%. Ainda falando das finalistas, fica claro que não é só na teledramaturgia que as mulheres estão se sobressaindo, no meio musical também. Na primeira etapa da final, apenas um homem marcava presença, e na segunda parte foram quatro mulheres as escolhidas para disputar o prêmio. 

Entre tantos cantores profissionais que se apresentaram e abrilhantaram o palco do "The Voice Brasil", pode-se dizer que o reality foi um conjunto de acertos. Comprar um formato que faz sucesso em outros países nem sempre é garantia de retorno. Depende da competência de quem adquire. Vide o fracasso do Ídolos na Record, ao contrário do que acontece com

sábado, 15 de dezembro de 2012

Totia Meirelles ganha a melhor personagem de sua carreira e transforma Wanda na grande vilã de Salve Jorge

Toda atriz sonha com a oportunidade de interpretar uma vilã bem odiável. Há anos que as mocinhas perderam espaço para as víboras, principalmente nas novelas do horário nobre. Talvez a única exceção dos últimos anos tenha sido a Nina (ótima Débora Falabella), de "Avenida Brasil", que despertou a paixão de muita gente, mas devido à inteligência do autor João Emanuel Carneiro, que foi sábio e fugiu dos clichês, criando uma protagonista bem dúbia. Ainda assim, Carminha (Adriana Esteves), sua rival, virou mania nacional. Mas a novela acabou, sendo substituída por "Salve Jorge". E atualmente, a vilã que tem roubado a cena no horário das nove atende pelo nome de Wanda, personagem vivida magistralmente por Totia Meirelles.


Totia sempre foi uma atriz de imenso talento, entretanto, raramente tinha oportunidade de se destacar em uma novela. Quase sempre a escalavam para personagens pequenos, sem importância e muitas vezes  interpretava a amiga de uma personagem secundária. Ainda assim, ficava claro para o telespectador que ali havia uma profissional que não estava sendo devidamente aproveitada. Seu último trabalho na televisão foi em "Fina Estampa", onde viveu Zambeze, um tipo totalmente dispensável e que nada acrescentou àquela trama, que já apresentava uma sucessão de erros. Antes disso interpretou Vânia, a melhor amiga de Mercedez (Lilia Cabral), na série "Divã", e esteve muito bem do início ao fim, fazendo  uma boa dobradinha com Lilia. Mas ali estava a 'amiga' de sempre. A escada. O ouvido da protagonista.

Em meios a tantos trabalhos secundários na televisão, foi justamente com Glória Perez que a atriz pôde mostrar do que era capaz. Após ter trabalhado com a autora em "O Clone", Totia também foi escalada para "América" e naquela trama ganhou uma personagem que tinha uma história, um núcleo, uma família. Não era apena a amiga de alguém. Sua personagem, Vera, enfrentou

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Suburbia: o show de desgraças de Luiz Fernando Carvalho

Quando a nova série de Luiz Fernando Carvalho estreou, o telespectador teve a melhor impressão possível. Produção de qualidade, bom elenco, fotografia impecável e uma história que prometia. As críticas foram extremamente positivas. Parecia que os equívocos de ""A Pedra do Reino", "Capitu" e "Afinal, o que querem as mulheres" --- séries que deixaram muito a desejar, apesar da qualidade artística --- haviam ficado no passado e os bons tempos de "Hoje é dia de Maria" --- uma produção tocante e impecável --- tinham voltado. Mas, infelizmente só parecia.


A proposta inicial da série era contar a história de vida e a superação de Conceição (Erika Januza), uma menina no corpo de uma mulher que sofreu muito na vida. Mas o que o público está vendo não é superação alguma e, sim, um festival de desgraças e um excesso de violência. Os dolorosos toques de realidade não estão mais sendo mesclados com toques poéticos e muitas vezes parece que o telespectador está assistindo a um documentário sobre o sofrimento humano. É tristeza demais para algo que, teoricamente, está propondo entreter quem assiste.

Logo no primeiro capítulo, a protagonista foi quase violentada pelo marido da patroa. A cena foi forte, mas fazia parte de um contexto e a direção ousou ao colocar como tema de fundo uma música de Roberto Carlos. Algo totalmente contrastante com a tensão da sequência. Porém, parece que gostaram da situação e resolveram repeti-la exaustivamente. Conceição conseguiu um

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Marjorie Estiano mais uma vez comprova o seu talento e brilha em Lado a Lado

Ela é tímida e não gosta de expor sua vida pessoal. Dificilmente você a vê em sites de fofoca ou sendo flagrada em baladas. Sua carreira na televisão começou, de fato, em "Malhação", vivendo uma vilã que até hoje ninguém se esquece: a roqueira Natasha. Após esse trabalho nunca mais parou. Foi escalada para diversas novelas. Já protagonizou, inclusive, uma novela das nove, "Duas Caras", onde conseguiu dar a volta por cima ao viver uma personagem difícil e que sofreu fortes críticas nos meses iniciais. Brilhou em "Páginas da Vida", encantou em "Caminho das Índias", seduziu em "Amor em 4 Atos" e emocionou em "A Vida da Gente". Hoje, volta a angariar elogios pelo seu desempenho em "Lado a Lado", atual novela das seis. Claro que a pessoa em questão é a Marjorie Estiano.


Marjorie sempre se destacou em todos os seus trabalhos e ao viver a destemida Laura mais uma vez mostra o quanto é talentosa. Após viver uma personagem tão marcante em "A Vida da Gente" e, em menos de um ano, emendar em "Lado a Lado", vivendo outra protagonista, a atriz correu sérios riscos de acabar se repetindo. A doce Manu ainda estava viva na memória do público e convencer na pele de Laura não era uma missão fácil.

Entretanto, bastou o primeiro capítulo da atual novela de época da Globo ir ao ar para o telespectador perceber que, graças à versatilidade da atriz, não haveria a menor possibilidade de Manu incorporar em Laura. Marjorie soube aproveitar todo o leque de possibilidades que a nova personagem tinha a lhe oferecer. A protagonista, apesar de

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Com Regina Casé cada vez mais à vontade, "Esquenta!" estreia sua terceira temporada com a alegria de sempre

"É como se fosse uma festa na minha casa. Branco, preto, bege, gordo ou hétero, deficiente, não importa: todo mundo pode ficar à vontade." Essa é a descrição que Regina Casé faz do "Esquenta!", programa que estreou sua terceira temporada no último domingo (9/12), matando as saudades do público. A atração fez sucesso assim que entrou no ar, em 2011, e a Globo chegou a cogitar a hipótese de manter a produção fixa na grade, mas a apresentadora achou melhor não arriscar e continuar com as exibições em pequenas temporadas, se inspirando no padrão de algumas séries globais.


O programa, primeiro da atual temporada, foi dedicado aos deficientes físicos. O palco foi adaptado para que todos os deficientes tratados na Rede Sara Kubitschek, convidados especiais do dia, tivessem uma boa mobilidade. Ainda foi exibida, em pequenos blocos durante a atração, uma entrevista com a presidente Dilma Roussef. E, claro, a tradicional bagunça feita foi mantida e nem poderia ficar de fora. Tudo mesclado com muito samba, pagode e uma mistura grande de ritmos e estilos --- com direito a uma participação especialíssima do 'Paralamas do Sucesso', onde além de cantar, Herbert Vianna contou sobre sua paraplegia, após o trágico acidente que sofreu anos atrás.

O "Esquenta!" é um produção para toda a família e bem despretensiosa, mas não tem um formato fácil. São mais de cinco horas de gravação para apenas uma hora e meia de duração no ar. Há muita gente no palco e a plateia fica bem próxima dos convidados. Caso não fosse bem liderado, o programa poderia ser um imenso fiasco da

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Ao entrevistar Guilherme de Pádua, Domingo Espetacular revolta telespectadores e desperta dúvidas a respeito da verdadeira intenção da reportagem

No domingo passado (3/12), o "Domingo Espetacular" já havia ultrapassado os limites do constrangimento ao exibir uma reportagem a respeito do Pica-Pau para atacar o diretor da "TV Xuxa", Mario Meirelles. Mas nesse último domingo, o jornalístico conseguiu se superar e desceu ainda mais fundo. Exibiu uma reportagem relembrando o assassinato de Daniella Perez e o jornalista Marcelo Rezende ainda fez uma longa entrevista com Guilherme de Pádua, o assassino.


O criminoso confessou que tramou o assassinato da atriz e que queria o perdão de Glória Perez. Também contou que tinha interesse em se aproximar de Daniella para aumentar sua participação na novela "De Corpo e Alma", trama da autora, mãe da vítima, que era exibida na época. O rapaz, hoje convertido, também se fez de vítima: disse que está arrependido e entregou sua vida para Cristo. Em suma: a entrevista não serviu para absolutamente nada e não trouxe fato novo algum. Então qual a razão para a Record apresentar uma matéria desse nível?

Coincidência ou não, a mãe da moça brutalmente assassinada é autora de "Salve Jorge", que foi massacrada pelo Bispo Edir Macedo, dono da Record, antes mesmo de ter estreado, justamente por 'falar' de um santo. Várias matérias difamando a novela e o conteúdo da mesma eram postadas na internet, gerando muita

sábado, 8 de dezembro de 2012

Lado a Lado e A Vida da Gente: quando as semelhanças superam as diferenças

A atual novela das seis da Rede Globo não tem conseguido bons índices de audiência e isso não é novidade para ninguém. "Lado a Lado", apesar da qualidade incontestável e do excelente elenco, vem obtendo uma média geral de 18 pontos, sete pontos abaixo da meta estipulada para o horário. Devido a esse conjunto de fatores, fica impossível não fazer uma comparação com uma outra grande novela, exibida ano passado, e que também enfrentou dificuldades nos números do ibope, apesar de também ter sido uma excelente obra: "A Vida da Gente".


A história de Lícia Manzo foi um sucesso de crítica e todos os telespectadores que a prestigiaram não se arrependeram. A trama tinha um elenco reduzido, onde todos os atores eram valorizados, e um núcleo central muito forte, com duas irmãs que se amavam e se viam separadas por um golpe trágico do destino. Marjorie Estiano (Manu) e Fernanda Vasconcellos (Ana) protagonizaram cenas inesquecíveis, assim como todo o restante do elenco. O texto da autora, que escrevia sua primeira novela solo, era primoroso e elogiado merecidamente. Mas infelizmente a trama não teve uma boa audiência e terminou com 22 pontos de média geral, três abaixo da meta.

Como se pode observar, as semelhanças de "A Vida da Gente" com "Lado a Lado" não são poucas, além, claro, do fato de Marjorie Estiano ter tido papéis centrais nas duas tramas. Assim como Lícia Manzo, João Ximenes Braga e Claudia Lage também são estreantes. Apesar de ter um enredo totalmente diferente, a atual novela das seis também tem um elenco reduzido, onde todos são ótimos atores e têm um destaque merecido. A trama é muito

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Tony Ramos e Irene Ravache mostram em Guerra dos Sexos que atores veteranos também merecem ser protagonistas

Na primeira versão de "Guerra dos Sexos", o casal protagonista era representado por Paulo Autran e Fernanda Montenegro. A novela fez um imenso sucesso e até hoje todos se lembram da clássica cena em que um joga comida no outro, em pleno café da manhã, numa sequência de mais puro pastelão. Os atores ficaram marcados e deram um show na pele de Otávio e Charlô. Ao escrever o remake de sua própria obra, Silvio de Abreu não pensou duas vezes e escalou dois atores de peso para viver a dupla que tanto teve repercussão no passado: Tony Ramos e Irene Ravache.


O autor acertou em cheio ao escolher esses dois veteranos de tanto talento para protagonizar a novela das sete. Os dois atores já participaram de várias produções do próprio Silvio e sempre costumam ser lembrados por ele. Aliás, a última novela em que os dois marcaram presença foi a ótima "Passione", onde Tony viveu o enganado Totó e Irene deu vida a uma perua hilária, a inesquecível Clô. Agora, em "Guerra dos Sexos", ambos têm brilhado na pele dos sobrinhos do casal de 1983 e a parceria está sendo muito bem-sucedida.

Tony Ramos está impagável e totalmente à vontade no papel. Otávio é um quase-vilão e suas leves maldades costumam descambar para o riso, principalmente através dos trejeitos e na forma de falar do personagem. O ator deu um tom farsesco ao tipo e acertou em cheio. Já Irene Ravache não fica atrás na pele da Combuqueta, ou melhor, Charlô. A empresária é

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Surra de Morena em Wanda finalmente deslancha o núcleo central, mas não apaga os conhecidos equívocos de Salve Jorge

Na última terça-feira (4/12), o telespectador pôde ver uma das cenas mais clássicas da teledramaturgia em "Salve Jorge": a mocinha dando uma surra na vilã. Morena, ao chegar à Turquia, percebeu que foi enganada por Wanda e que é vítima de um esquema de tráfico humano. A mocinha se desespera ao constatar que está em um bordel e espanca a vilã. Foi a primeira cena que despertou interesse no público e acabou funcionando como o verdadeiro estopim para que o núcleo de maior utilidade da novela realmente começasse a se desenvolver pra valer.


A sequência --- embora muito mal dirigida, com direito a marcações de cena que ficaram explícitos até para um leigo e erroneamente editada, com cortes totalmente equivocados ---, foi muito bem defendida pelas atrizes. Nanda Costa expressou toda a fúria de Morena enquanto que Totia Meirelles deixou transparecer o desespero da vilã ao ser surpreendida pela sua própria vítima.

Na continuação da cena, Wanda demonstrou o quanto pode ser fria ao apontar uma arma para a mocinha e quase apertar o gatilho, alegando que poderia conseguir outra menina com o mesmo biotipo rapidamente. Aliás, a comparsa de Lívia (Cláudia Raia) é a verdadeira vilã da trama e a atriz está se destacando cada vez mais. Já Nanda também não

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Apesar de ser a história mais atraente de Salve Jorge, tráfico humano não deixa de ser mais um déjà vu de Glória Perez

A novela das nove continua sem empolgar. "Salve Jorge" tem enfrentado uma baixa audiência e a rejeição do público tem sido muito grande. Entretanto, o único núcleo que conseguiu despertar um certo interesse dos telespectadores foi o que envolve o tráfico humano, tema escolhido pela autora para retratar situações reais, que infelizmente acontecem no Brasil e no mundo. O drama de Jéssica (Carolina Dieckmann) acabou causando comoção pelo sofrimento personagem e, a partir de agora, Morena (Nanda Costa) também caiu nas mãos do tráfico e a trama tenderá a crescer. Porém, em meio a tantas repetições presentes na novela, a questão do tráfico não deixa de ser mais um déjà vu.


Para o azar de Glória Perez, o "Vídeo Show" está reprisando no quadro "Novelão da Semana" justamente "América", trama da autora exibida em 2005. Através da reprise, os telespectadores mais desatentos podem acompanhar como são parecidas as histórias de Sol (Deborah Secco) e Morena; além da perceptível semelhança entre a imigração e o tráfico humano. Claro que essas comparações já ocorriam, mas ao cometer, digamos, essa 'gafe', o programa vespertino da Globo acaba expondo as fragilidades criativas da autora.

Sol presenciou a casa dos pais ser demolida e precisou se mexer para conseguir dinheiro. A forma mais rápida foi tentar entrar nos E.U.A. para ganhar em dólar e progredir em um novo país. Mas a protagonista não conseguiu o visto e acabou resolvendo entrar em um esquema ilegal, desembolsando cinco mil reais para dar ao chefe do esquema, Alex, interpretado por Thiago Lacerda. Mas a mocinha não esperava que para entrar ilegalmente precisaria se sujeitar a

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Domingo Espetacular ultrapassa os limites do constrangimento ao responder aos ataques de diretor do TV Xuxa

A polêmica ocorreu há duas semanas, mas ainda repercute. O diretor do "TV Xuxa", Mario Meirelles, postou em sua conta do Twitter que todos os telespectadores que preferem assistir ao Pica-Pau, na Record, ao invés da atração que dirige na Globo, são retardados e idiotas. Obviamente que a declaração não foi bem aceita e o diretor recebeu uma avalanche de merecidas críticas. No último domingo (2/12), o "Domingo Espetacular" apresentou uma matéria em 'resposta' aos comentários de Mario. A reportagem foi tão constrangedora que o próprio diretor global deve ter dado boas risadas.


O jornalístico da Record sempre funcionou como objeto de ataque e isso não é novidade. O programa já falou mal do ibope, da Globo, da Veja, enfim, foram vários os alvos. Mas dessa vez a situação beirou o ridículo. A reportagem apresentou dados que comprovavam que o desenho ganhou várias vezes do "TV Xuxa" e ainda exibiu entrevista com populares elogiando o Pica-Pau e a qualidade do mesmo. Chegaram até a dizer que o desenho é muito 'saudável'. E, claro, além de enaltecer o conhecido pássaro que marcou a infância de muita gente e ainda agrada a todas as crianças, o "Domingo Espetacular debochou de Mario Meirelles. A futilidade da matéria ficou visível.

Brigas à parte, a verdade é que nesse caso ninguém tem razão. O diretor perdeu uma ótima oportunidade de ficar calado e agredir quem prefere prestigiar uma atração da concorrente chega a ser patético e infantil. Afinal, todos têm o direito de ver o que bem quiser e o controle-remoto existe para isso. No dia da polêmica, o "TV Xuxa" apresentou uma

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

"Aventuras do Didi" e "Casseta & Planeta Vai Fundo" serão cancelados e não deixarão saudades

Ontem (29/11), já havia sido divulgado por vários sites que os programas "Aventuras do Didi" e  "Casseta & Planeta Vai Fundo" seriam cancelados. Hoje, a Rede Globo emitiu uma nota confirmando o fim das respectivas atrações. A turma dos cassetas se despedirá da telinha em dezembro, com um especial de fim de ano, e Renato Aragão ainda terá sua atração até 3 de fevereiro de 2013, dia que será exibido o último programa.


"Aventuras do Didi" está no ar desde 1998, quando ainda era chamado de "A Turma do Didi", e o programa era exclusivamente voltado para o público infantil, ao contrário de "Os Trapalhões" que divertia qualquer um e de qualquer faixa etária. A atração nunca foi interessante e Renato Aragão insistia em piadas bobas e sem a menor graça. No entanto, ainda agradava as crianças. No últimos anos, houve a alteração no nome --- para parecer que tinha havido uma renovação, o que não ocorreu --- e Dedé voltou a integrar o time. A audiência não aumentou, pelo contrário, foi caindo até chegar ao ponto de perder para o "Domingo Legal", do SBT, em várias ocasiões. Esse ano, os índices ficaram muito além do desejado e foi um alívio a estreia do "The Voice Brasil", que acabou retirando (temporariamente) o Didi do ar.

Já o "Casseta & Planeta" estreou em 1992 e fez muito sucesso ao longo dos anos, mas há tempos que seu humor foi ficando repetitivo. O surgimento do "Pânico" e do "CQC" só ajudou a mostrar o quanto que o time global estava se perdendo. Embora muitos digam que a causa da decadência do programa tenha sido a morte do ótimo Bussunda, a verdade é que mesmo quando o grande humorista ainda estava presente, as piadas já tinham

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Na primeira grande premiação do ano, Avenida Brasil sai consagrada e colhe os frutos do sucesso alcançado

A televisão sempre foi a grande paixão do brasileiro. E quando o ano vai chegando ao fim, vários veículos da imprensa promovem premiações, consagrando o bom trabalho de apresentadores, atores, autores, diretores e novelas e produções que mais se destacaram no ano que passou. A primeira grande premiação de 2012 --- o Prêmio Extra --- mostrou o que todos já previam: "Avenida Brasil" foi a grande vencedora da noite, triunfando em seis categorias, das nove que concorreu. A festa (ocorrida ontem, 27/11) foi transmitida pela internet e quem assistiu pôde acompanhar toda a cerimônia, esta muito bem apresentada por Marcos Caruso e Eliane Giardini.


Ao longo desse ano, os telespectadores se apaixonaram por duas novelas que foram um verdadeiro sucesso de público e crítica: "Cheias de Charme" e "Avenida Brasil". Não por acaso, as duas produções ganharam vários prêmios e foram ovacionadas pela plateia, que reagia empolgada a cada vitória das respectivas tramas. Em meio a tantas comemorações, ainda houve espaço para homenagear Glória Menezes e Tarcísio Meira, que ganharam o Troféu Extraordinário, categoria mais importante da premiação do jornal Extra. Os grandes atores se emocionaram e mostraram que o amor entre eles, e pela profissão, continua forte.

Mas voltando aos indicados, ficou bem claro que será muito difícil competir com a novela das sete e das nove que mais fizeram sucesso em seus respectivos horários nos últimos anos. "Cheias de Charme" e "Avenida Brasil" são produções que irão faturar quase todas as categorias que vierem a concorrer, e caso se enfrentem, como ocorreu no

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Personagens fascinantes e elenco primoroso transformam Sessão de Terapia em uma série impecável

O canal a cabo GNT arriscou ao investir na criação de uma série brasileira, baseada no seriado israelense Be`tipul. Entre várias versões já feitas,  a americana --- In Treatment --- era a mais conhecida no Brasil. Mas agora, após várias semanas no ar, pode-se dizer tranquilamente que a história nacional chegou para ficar. "Sessão de Terapia" é uma produção de imensa qualidade, a direção de Selton Mello é esplêndida e o texto maravilhoso. Além de todos esses pontos positivos, há um grande acerto na escalação do elenco e na criação dos personagens, que contêm uma complexidade fascinante.


Os atores foram selecionados a dedo e a entrega de cada um é visível. Absolutamente todos estão brilhando e emocionando o telespectador com suas atuações. Os personagens se tornaram críveis e não seria nenhuma surpresa se o público realmente misturasse ficção com realidade, uma vez que o talento desses profissionais e a rica história que envolve a série formaram um 'casamento' perfeito.

Zécarlos Machado está um verdadeiro assombro vivendo o terapeuta Theo e já protagonizou uma quantidade absurda de cenas memoráveis. O ator estava precisando de um papel como esse: um psicólogo que precisa enfrentar problemas familiares e resistir a uma paixão avassaladora que sente por uma paciente, tendo necessidade, inclusive, de

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Evaristo Costa e Sandra Annenberg formam a dupla mais entrosada e simpática do jornalismo da Globo

A Globo é uma emissora que tem a novela como produto mais apreciado, mas, verdade seja dita, o jornalismo não fica muito atrás. Tendo vários jornais sendo exibidos ao longo de sua programação, e todos com muita qualidade, a empresa conta com uma grande equipe de jornalistas e profissionais competentes. Entre tantos jornalísticos, o "Jornal Nacional" sempre foi o principal e dificilmente algum outro tomará esse posto, afinal, é exibido no horário nobre. No entanto, após algumas modificações, o "Jornal Hoje" acabou virando o produto mais querido por grande parte dos telespectadores.


Sempre sendo alvo de muitas críticas por apresentar um formato de telejornal engessado e até robótico, a Globo, há alguns anos, finalmente resolveu mudar e dar um ar de maior naturalidade aos seus jornalistas. Aos poucos, todos os jornais foram tendo modificações e os apresentadores começaram a se soltar um pouco mais. O jornalístico que menos apresentou mudanças na conduta de seus âncoras foi o "Jornal Nacional", enquanto que o "Jornal Hoje" foi o que mais sofreu modificações e para melhor. Juntou um formato mais leve com uma dupla de apresentadores segura e simpática: Evaristo Costa e Sandra Annenberg.

Sandra é uma jornalista de extrema competência e já esteve presente em diversos jornais da Globo. Assumiu o comando do "JH" em 1998 e, entre idas e vindas, acabou se fixando no telejornal vespertino em 2003 --- ano em que mudanças mais significativas começavam a alterar o formato do jornalístico ---,  fazendo dupla com Carlos Nascimento. Com a ida do apresentador para

sábado, 24 de novembro de 2012

O Clone, América, Caminho das Índias, Salve Jorge e as eternas repetições de Glória Perez

Glória Perez é uma profissional consagrada e não há como contestar seu prestígio. Com várias novelas de sucesso no currículo e vista, há anos atrás, como sucessora de Janete Clair, fez sua história na televisão e merece respeito. Porém, é impossível não observar um grande comodismo em suas obras e o que poderia ser apontado por alguns como 'estilo', nada mais é do que uma verdadeira overdose de repetições. "Salve Jorge" está no ar há pouco mais de um mês e, caso nada de extraordinário aconteça, caminha para ser o maior equívoco da autora.


Embora já tenha demonstrado interesse em apresentar novas culturas ao telespectador em "Explode Coração" (1995) --- onde retratou os costumes ciganos ---, foi depois do estrondoso sucesso de "O Clone" (2001) que Glória resolveu estabelecer um padrão para suas novelas: sempre exibir um núcleo cuja história se passa no exterior. Provavelmente achou que tinha encontrado a fórmula do sucesso e de início até parecia mesmo que era uma estratégia inteligente. Apesar dos problemas iniciais, "América" e "Caminho das Índias" tiveram uma boa repercussão e audiência satisfatória. Mas a paciência do telespectador parece ter finalmente chegado ao fim.

Em "Salve Jorge", a autora resolveu praticamente misturar todas as suas obras anteriores, incluindo até mesmo personagens iguais e situações muito semelhantes. A Turquia, por exemplo, como é muçulmana, faz lembrar o "O Clone"; cujos bordões fazem lembrar "Caminho das Índias", cujas vestimentas fazem lembrar os turcos de "Salve Jorge", novela cuja história da protagonista faz lembrar a Sol, personagem de

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Malhação, Lado a Lado, Guerra dos Sexos e Salve Jorge: o que há de errado com as atuais produções da Globo?

O setor de teledramaturgia da Globo não anda enfrentando um bom momento. Mesmo que ainda esteja na liderança isolada, o ibope das novelas está muito abaixo do esperado. Embora os índices de "Balacobaco", na Record ,também estejam pífios e "Rebelde" tenha sido antecipada por causa do fracasso, os números alcançados pela emissora carioca não deixam de assustar. Aliás, a única produção alheia a toda essa suposta crise é "Carrossel", a novelinha infantil exibida pelo SBT, que tem conseguido a vice-liderança com folga. Mas afinal, ignorando a concorrência, o que há de errado com as quatro tramas globais? 


"Malhação" tem obtido em torno dos 15 pontos, índice considerado muito baixo e até inferior ao número da média geral da temporada passada, considerada um fracasso: 16 pontos. Já "Lado a Lado", tem alcançado 17,97 pontos de média geral, até então, sendo que a meta esperada é de 25. "Guerra dos Sexos" obtém 22,26 pontos até o momento e a Globo espera, no mínimo, 30 para o horário das sete. E "Salve Jorge"? A trama de Glória Perez patina no ibope e, levando em conta as últimas semanas desde a estreia, conseguiu uma média de 30,63 pontos, sendo que o padrão do horário é 40 pontos.

Não é possível fazer qualquer tipo de afirmação sobre os atuais desempenhos, uma vez que é difícil saber o que realmente esperar do público, entretanto, algumas suposições acabam surgindo e muitas delas acabam tendo uma certa coerência. O Horário de Verão, por exemplo, ainda é um grande vilão e prejudica muito o desempenho da

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Novelão da Semana: o quadro que virou a sensação do Vídeo Show

O "Vídeo Show" está no ar desde 1983. A atração é caracterizada pela exibição dos bastidores das novelas e de todos os programas da Rede Globo; além de ter várias entrevistas com os atores e diretores. Sempre fez sucesso e os 29 anos de vida apenas comprovam isso. Porém, há alguns anos, o programa vinha apresentando um desgaste e até perdendo sua identidade. Ainda resolveram extinguir o "Falha Nossa", quadro de maior sucesso e que exibia os erros de gravação das produções. Mas, aos poucos, consertaram os equívocos e inseriram novidades que foram agradando o telespectador. Sem dúvida, o maior acerto dos últimos meses foi o 'Novelão da Semana'.


O quadro é uma espécie de "Vale a Pena Ver de Novo" compacto. Exibem reprises de novelas de sucesso e as apresentam em duas semanas; com direito a narrações das cenas para agilizar e ajudar na compreensão de quem se esqueceu ou não acompanhou na época. É bom lembrar que assim que estreou no "Vídeo Show", o 'Novelão da Semana' reexibia a novela em apenas uma semana, mas devido ao sucesso do quadro, acabaram estendendo para duas. Infelizmente, mesmo tendo mais tempo de exibição, é inevitável não cortarem alguns núcleos das obras, o que acaba gerando reclamações; mas o saldo geral da ideia é muito positivo.

Atualmente estão reprisando "O Beijo do Vampiro", uma trama que marcou a adolescência de muita gente em 2002 e que até hoje é lembrada pelos fãs. Há, inclusive, várias campanhas para que a segunda história vampiresca de Antonio Calmon (autor) --- a primeira foi "Vamp" --- seja reprisada no "Vale a Pena Ver de Novo". Nas semanas anteriores, o "Vídeo Show" chegou

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Patrícia Pillar volta em grande estilo e brilha na pele de Constância em Lado a Lado

Ela é uma profissional admirável e fazia muita falta na televisão. A última novela que contou com a presença da atriz, do início ao fim da trama, foi "A Favorita", em 2008. Sua interpretação magistral foi muito marcante e até hoje a vilã Flora, que enganou personagens e telespectadores, é lembrada pelo público. Após essa fase de muita exposição e consagração, tirou um tempo para descansar a imagem. Depois do período sabático, fez pequenas participações em "Passione" (2010) e "Divã" (2011), além de ter emprestado seu lado apresentadora para o "Som Brasil". No início de 2012, protagonizou um episódio da série "As Brasileiras" e agora, finalmente, voltou a integrar o elenco fixo de uma novela. Claro que estou falando de Patrícia Pillar, a Constância de "Lado a Lado".


Uma profissional que foi crescendo a cada trabalho e desde que surgiu na televisão mostrou que não era apenas um rosto bonito. Patrícia Pillar fez sua primeira aparição em "Roque Santeiro", mas foi vivendo a misteriosa Ana do Véu, na primeira versão de "Sinhá Moça" (1986), escrita por Benedito Ruy Barbosa, que a atriz começou a trilhar seu caminho na televisão, colecionando personagens e enriquecendo o currículo. Aliás, foi a partir dessa novela que Benedito caiu de amores pela atriz e fez questão de contar com sua presença em várias outras produções. O autor a escalou para muitas tramas, entre elas "Renascer", "O Rei do Gado" e os remakes de "Cabocla" e "Sinhá Moça".

Mas Patrícia também participou de outras novelas --- "Brega & Chique" (1987), "Rainha da Sucata" (1990), "Salomé" (1991), "Pátria Minha" (1995), "Um Anjo Caiu do Céu" (2001) --- e várias séries, entre elas uma marcante: "Mulher", seriado que mostrava o cotidiano de uma clínica de atendimento a mulheres. Patrícia era Cris e fez uma dupla fantástica com

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Além da narrativa lenta, excesso de personagens prejudica o desenvolvimento dos núcleos em Salve Jorge

Está cada vez mais difícil acompanhar a nova novela das nove. Glória Perez apresenta um verdadeiro amontoado de histórias já escritas por ela e a falta de criatividade fica evidente. Mas esse não é o único problema de "Salve Jorge". A trama também é lenta demais, não empolga, e o excesso de personagens prejudica o desenvolvimento dos núcleos e o próprio andamento da obra.


São 84 personagens distribuídos em 12 núcleos, números que transformam o elenco de "Salve Jorge" no mais numeroso do horário nobre dos últimos 12 anos. Fica totalmente impossível valorizar todos os profissionais escalados e obviamente que Glória Perez sabe disso. O 'pior' é que o time escolhido pela autora é excelente, recheado de grandes atores. Isso apenas aumenta a decepção do público em ver tanto ator bom desperdiçado e desvalorizado.

A narrativa lenta tem dado sono no telespectador, que acompanha vários capítulos onde a falta de acontecimentos relevantes se encontra presente do início ao fim. Glória nunca foi ágil em suas obras, mas na atual há um abuso, digamos assim. A novela apresenta barriga antes mesmo de

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Totalmente recuperados, Drica Moraes e Reynaldo Gianecchini são gratas presenças em Guerra dos Sexos

Ambos enfrentaram uma grave doença e que sempre deixa a pessoa enferma extremamente debilitada, tanto pelos sintomas quanto pelo difícil tratamento: o câncer. O público sofreu com eles e fez questão de demonstrar apoio naquele momento tão difícil. A ansiedade pela cura e retorno dos atores era grande. Após muita luta e um longo período afastados, Drica Moraes e Reynaldo Gianecchini conseguiram se recuperar, se livraram da doença e voltaram à ativa em "Guerra dos Sexos".


Na pele de Nieta e Nando, os atores começaram enfrentando a rejeição do público. Primeiro porque o sotaque da irmã de Roberta Leone (Glória Pires) lembra muito o 'caipirês' da Márcia, papel vivido pela atriz em "Chocolate com Pimenta". E segundo porque Reynaldo estava copiando todos os trejeitos do Pascoal, mecânico atrapalhado, interpretado pelo ator em "Belíssima". Em suma: parecia que os personagens iriam 'naufragar' no gosto popular.

Mas os capítulos foram passando e os atores, assim como quase todo o elenco, estão bem mais à vontade em seus respectivos papéis. A atriz, verdade seja dita, sempre esteve bem e o sotaque característico da personagem, apesar de realmente ser parecido com o da Márcia, não atrapalha em nada seu desempenho. A mãe de Carolina (Bianca Bin) não poderia estar sendo vivida por outra pessoa e Drica Moraes está mais uma vez mostrando o quanto

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Lado a Lado: três irmãs, três personagens, três atrizes, três talentos

"Lado a Lado" já iniciou sua aguardada segunda fase e está cada vez melhor. Laura (Marjorie Estiano), após se afastar da cidade, voltou e começará sua vida do zero. Zé Maria (Lázaro Ramos) está liderando a Revolta da Chibata, que se iniciou no capítulo dessa segunda-feira. E Fernando (Caio Blat) descobriu que não é filho de Margarida (Bia Seidl), iniciando seu plano de vingança. São muitas histórias atraentes e vários acontecimentos interessantes. Porém, em meio a tantas tramas e bons papéis, é preciso mencionar três personagens que sempre se destacam quando aparecem, isso desde o primeiro capítulo: Celinha, Carlota e Constância.


Elas são irmãs com personalidades totalmente distintas. Mesmo em meio a tantas diferenças, estão quase sempre unidas, embora muitas vezes se alfinetando. Muito bem escritas por João Ximenes Braga e Cláudia Lage, as personagens protagonizam ótimas cenas, estando juntas ou separadas. Isabela Garcia, Christiana Guinle e Patrícia Pillar demonstraram entrosamento desde o início e as atrizes souberam compor seus papéis com perfeição. Os autores foram muito felizes na escalação desse trio.

Isabela Garcia --- que provavelmente foi escolhida para o papel graças ao Gilberto Braga, autor que sempre a escala e que supervisiona o texto de "Lado a Lado" --- vive uma solteirona atrapalhada e muito bondosa. Sua personagem representa a meiguice e não é por acaso que Laura e Alice (Juliane Araújo), sua sobrinhas, a adoram. Sempre solícita e disposta a ajudar qualquer um, Celinha muitas vezes é humilhada pelas

domingo, 11 de novembro de 2012

Em prol da AACD, Teleton completa mais uma edição cumprindo seu objetivo e tendo Silvio Santos como atração principal

Na última sexta-feira (09/11), foi ao ar mais uma edição do "Teleton" --- programa criado em 1998, e desde então exibido pelo SBT, com o intuito de ajudar crianças e pessoas com deficiência. Assim como o "Criança Esperança", a atração tem um cunho social e sempre cumpre seu objetivo com louvor. As doações em prol da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) são importantíssimas e necessárias para que a instituição continue com seu trabalho. Todos os anos as metas são alcançadas para a alegria dos que precisam.


Há quinze anos no ar --- e apesar de ter incluído a presença de twitteiros famosos para aumentar a dinâmica e facilitar a campanha na internet ---, o "Teleton" sofre com o desgaste do formato, que raramente apresenta novidades. A única 'grande' alteração feita foi a interrupção da maratona. Há alguns anos, o programa entrava no ar na noite de sexta-feira e só acabava depois da meia-noite do sábado. Agora há uma exibição na sexta e uma continuação no sábado. Tirando esse fato, nada mudou. Vários artistas do SBT, cantores e também profissionais das emissoras concorrentes vão ao programa para pedir contribuições e são exibidos vídeos com depoimentos de crianças especiais. 

Apesar de apresentar poucas novidades, o "Teleton" ainda é uma atração interessante e bem mais agradável do que o "Criança Esperança". Isso se deve ao carisma de Silvio Santos. O rei da televisão domina o palco e não pensa duas vezes antes de soltar suas pérolas. Não é por acaso que o ponto alto do programa é justamente a presença do

sábado, 10 de novembro de 2012

Intolerância e preconceito marcam a campanha de parte dos evangélicos contra Salve Jorge

Antes mesmo de estrear, "Salve Jorge" já enfrentava uma onde de ataques de parte dos evangélicos. Não foi à toa que a própria Rede Globo tentou convencer Glória Perez a alterar o nome de sua novela, com medo da reação de alguns setores mais fanáticos. A autora não aceitou e decidiu manter. Pois assim que foi ao ar o primeiro capítulo da nova trama, a campanha contra e a incitação de ódio aumentaram significativamente. Vários blogs e grupos espalharam fotos e textos com ofensas e muito preconceito.


O que se pôde observar é que a Record teve uma grande participação nisso. Em quase todos os textos que apresentavam ferrenhos ataques à novela e conclamavam as igrejas neopentecostais a rejeitar a história de Glória Perez, haviam conselhos para que se assistisse à reprise de "Rei Davi", minissérie bíblica da concorrente exibida no mesmo horário, no lugar. Uma 'coincidência' difícil de engolir.

Como se não bastasse essa situação totalmente absurda, o Bispo Edir Macedo --- líder da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), instituição que controla a Rede Record --- publicou um texto negando a existência de São Jorge. A questão é que não há comprovação da existência de nenhum santo e de nenhum Deus; porém, é de vital importância que se respeite a

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Silvio de Abreu erra ao não inserir novas histórias em Guerra dos Sexos

Com pouco mais de 30 capítulos no ar, o remake escrito por Silvio de Abreu não está agradando. As críticas são constantes e a audiência não tem correspondido --- embora todas as novelas estejam enfrentando dificuldades no ibope. Muitos responsabilizam a temática ultrapassada da trama para justificar a rejeição, mas a verdade é que esse nunca foi o problema.


O eterno embate entre homens e mulheres não ficará cansativo tão cedo, uma vez que ainda está presente em nossa sociedade. Basta perguntar aos homens o que eles acham das mulheres ao volante, ou o que as mulheres acham dos homens tentando fazer várias coisas ao mesmo tempo, por exemplo. O assunto ainda rende muito. Os erros do remake são outros e passam longe do tema central --- que aliás, é o único que mostra essa guerra entre homens e mulheres, tendo Otávio e Charlô como protagonistas.

Todos os telespectadores que viram a primeira versão de "Guerra dos Sexos" constatam que Silvio de Abreu está praticamente escrevendo os mesmos diálogos e as mesmas cenas, sem mudar nada. São poucas as alterações. E é justamente aí que está o erro. Histórias que fizeram sucesso anos atrás, muitas vezes não apresentam o mesmo fôlego para os dias de hoje e precisam ser

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Salve Jorge desanima o telespectador ao apresentar um ritmo lento, muitos personagens e poucas histórias

Com pouco mais de duas semanas no ar, "Salve Jorge" ainda não disse a que veio. A trama --- que enfrenta o imenso desafio de substituir o fenômeno "Avenida Brasil" --- é lenta demais e Glória Perez tem demonstrado muita falta de imaginação nessa sua nova empreitada. O telespectador tem a clara sensação de déjà vu e a quantidade imensa de personagens assusta. Já a falta de acontecimentos relevantes apenas ajuda a afugentar o público, que está esperando a novela começar até agora, sem sucesso.


A autora tem apresentado um amontoado de personagens que ainda não demonstraram qualquer função e nem há ligação entre os núcleos. Claro que ainda é cedo para observar isso, mas a demora em criar tramas contundentes para cada um dos atores escalados causa estranhamento e deixa o telespectador perdido, com a sensação de estar vendo somente embromação. O elenco é recheado de grandes atores, mas do que adianta quantidade se não há qualidade?

O núcleo da Turquia é totalmente dispensável e parece criado única e exclusivamente para exibir bordões, dancinhas e outros costumes. Para agravar o problema, é impossível não associar as tradições com as exibidas em "O Clone" e "Caminho das Índias". São locais com muitas similaridades, principalmente nas vestimentas da

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Entrada de Alessandra Negrini movimenta Lado a Lado

Infelizmente a atual novela das seis da Rede Globo não está tendo uma boa audiência. Mas quem perde mais não é a emissora, que continua líder isolada, e sim o público, que se nega a prestigiar uma obra tão bem cuidada e escrita. Na última semana, os telespectadores de "Lado a Lado" puderam acompanhar uma virada na história, antes mesmo do início de sua segunda fase. A talentosa e linda Maria Fernanda Cândido --- vivendo a moderna Madame Jeannete Dorleac --- mexeu positivamente na história, mas foi a entrada de Catarina, vilã interpretada por Alessandra Negrini, que movimentou a trama de fato.


Mesmo quando ainda não havia entrado na história, a personagem já tinha criado a primeira crise do casamento de Laura e Edgar, o par mais querido da trama. A mocinha escondeu do marido a carta enviada pela vilã --- onde revelava que o rapaz tinha uma filha e que a criança estava enferma ---, o que acabou gerando uma forte discussão entre o casal. A viagem de Edgar, que foi conhecer a menina, só ajudou a piorar a relação. Laura enviava cartas, mas não obtinha respostas, ficando cada vez mais aflita. A protagonista ainda descobriu que estava grávida sem ter a presença do companheiro ao seu lado. Para culminar, acabou perdendo o filho após uma forte discussão com Constância.

Todos esses dramas vividos pelos personagens centrais movimentaram a trama e empolgaram os telespectadores. Quando finalmente Catarina apareceu, acompanhando Edgar de volta ao Brasil, a vida de Laura piorou muito, mas a história ficou ainda melhor. A comprovação desse fato é a quantidade de cenas ótimas que começaram a surgir, justamente devido

sábado, 3 de novembro de 2012

Com a acidez de sempre, Alexandre Machado e Fernanda Young acertam mais uma vez em "Como aproveitar o fim do mundo"

De acordo com a profecia maia, o fim está próximo e tudo vai acabar no dia 21 de dezembro de 2012. E você, acredita? O que faria se o mundo realmente acabasse? Como aproveitaria seus últimos dias? Baseado nessa premissa, estreou na última quinta-feira (2/11) "Como aproveitar o fim do mundo", mais uma série da consagrada dupla Alexandre Machado e Fernanda Young, dirigida por José Alvarenga Jr.


Protagonizada por Alinne Moraes e Danton Mello, a série conta a história de um casal que se conhece em uma administradora --- local onde ambos prestam serviços --- e partir desse fato, a dupla se envolve em várias situações um tanto quanto absurdas. Kátia trabalha no departamento pessoal, é uma mulher linda, bem maluquinha e que acredita piamente na profecia. Seu sobrenome, aliás, é Maia, o que apenas reforça essa sua crença. Já Ernani trabalha na contabilidade, é um cara metódico, certinho e que detesta todo tipo de 'aventura'. Após se conhecerem durante a pausa do cafezinho, o rapaz estranha ao ver aquela mulher acreditando em algo tão sem sentido; mas logo se deixa levar pelas maluquices dela e acaba começando a listar o que gostaria de fazer antes que o mundo acabasse.

O texto mordaz dos autores está novamente presente e a acidez dos diálogos é sempre a característica principal da dupla, fazendo o telespectador rir tanto pelas conversas esdrúxulas quanto pelas situações nada convencionais. Mas é impossível fazer rir se os atores escolhidos decepcionarem. Por isso mesmo que houve um grande acerto na escolha dos protagonistas. Alinne Moraes e Danton Mello têm química em cena e formam uma

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

"Suburbia": poesia e dolorosos toques de realidade em um universo ficcional

Luiz Fernando Carvallho é um diretor talentosíssimo e já dirigiu novelas de sucesso como "Pedra sobre Pedra" (1992) e "O Rei do Gado" (1996), por exemplo. No entanto, há alguns anos, Luiz vem se dedicando exclusivamente às séries e apresentou histórias muito bem-sucedidas, assim como fracassos também. Se em "Os Maias"  (2001) e "Hoje é dia de Maria" (2005) o telespectador pôde acompanhar verdadeiras obras-primas da teledramaturgia; o mesmo não se pode dizer de "A Pedra do Reino" (2007), "Capitu" (2008) e "Afinal, o que querem as mulheres" (2010); produções que não despertaram interesse e exageraram na 'intelectualidade'. Após esse três trabalhos fracassados, não havia muita expectativa na estreia de "Suburbia", a nova série dele, de Paulo Lins e Carla Madeira. Porém, após a exibição do primeiro episódio, as primeiras impressões acabaram sendo as melhores possíveis.


A série conta a vida, nada fácil, de Conceição, uma criança (vivida por Débora Fidélix Nascimento) que mora em uma carvoaria em Minas, local onde sua família acaba tirando o sustento. A trama --- nessa fase ambientada pouco antes dos anos 90 --- não se estende muito no local e logo a menina vai embora em cima de um cavalo branco. Para que pudesse pegar um trem, a menina acaba abandonando o animal. A cena foi muito forte e impressionou ver o cavalo correndo atrás da menina, enquanto ela o afugentava, demonstrando sofrimento. Ao chegar ao Rio de Janeiro, é confundida com uma trombadinha e acaba presa em uma instituição para menores. Lá, é ameaçada pela 'líder', mas não abaixa a cabeça e a enfrenta. Depois ainda consegue fugir; mas é atropelada por uma mulher, que a leva para casa, onde a jovem passa a viver praticamente como empregada --- a velha história do 'você é quase da família'.

Os anos passam e a protagonista cresce (Erika Januza, uma grande revelação, entra em cena), ainda mantendo a mesma função na casa da família que a acolheu. Já estando na década de 90, a série mostra o que parece ser uma leve melhora na vida de Conceição. A agora mulher está mais feliz, mesmo após tanto sofrimento. Porém, apenas parecia. Mesmo depois de

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

"A Fazenda de Verão": uma Fazenda com toques de Big Brother Brasil

Com o crescimento do SBT, a Record já não almeja mais a liderança e, sim, se manter na vice-colocação. A emissora de Silvio Santos tem conseguido ocupar o segundo lugar em vários momentos e a estreia do remake de "Carrossel" ajudou muito. Como reação, a concorrente resolveu lançar mais uma versão de "A Fazenda", com o intuito de brecar o sucesso da novelinha infantil. Assim, estreou nessa quarta-feira (31/10) "A Fazenda de Verão".


O formato do reality show é praticamente o mesmo. As alterações ficam por conta dos animais presentes --- agora são apenas aves e coelhos, em pequeno número --- e na ausência da figura do Fazendeiro, que indicava alguém para a eliminação e dava ordens na casa. Os participantes também não farão mais trabalhos rurais e sim atividades domésticas. 

Já no aspecto geral, as mudanças são maiores: Rodrigo Faro é o apresentador e os candidatos ao prêmio não são subcelebridades. Logo na estreia ficou nítido o quanto que Rodrigo é melhor que Britto Júnior --- além de ter todo o carisma que o anterior não tem, o novo comandante do reality é bem mais desenvolto e simpático. Entretanto, é preciso dizer

"Louco por Elas" volta com a mesma qualidade de sempre, mas não apresenta novidades

A série escrita e dirigida por João Falcão voltou ao ar na tela da Globo nesta terça-feira, ocupando novamente a grade que havia sido preenchida por "Gabriela". Pelo que se viu no primeiro dia da segunda temporada, não há novidades: a abertura é a mesma e todas as situações e personagens que fizeram sucesso no início do ano continuam presentes.


Logo no início do episódio, Leonardo (Eduardo Moscovis) está preparando uma festa para receber a ex e as filhas --- no final da fase passada, o trio viajou. Porém, assim que vai receber suas mulheres, Léo se choca ao ver Giovana (Deborah Secco) chegando com um outro homem (Bruno Garcia). E quando descobre que a ex está casada com esse cara, o protagonista resolve se vingar e pede uma ex-namorada (Ana Furtado) em casamento. Em meio a toda essa situação, ainda vimos Violeta (Glória Menezes) fazendo sucesso com um vídeo no You Tube (onde fez um clipe cantando "O Tempo Não Para", de Cazuza, com várias amigas e ex-namorados), indo parar até no "Domingão do Faustão". Pouco antes de terminar a reestreia da série, Léo e Giovana decidem fugir juntos, mas os parceiros também resolvem fugir deles. Em suma: o casal está novamente junto (ou não).

João Falcão continua inspirado na direção e o texto manteve o humor característico, marcado pelos diálogos sarcásticos, fugindo da obviedade. Aliás, pode-se dizer que as melhores frases são proferidas por Violeta, que acaba protagonizando conversas geniais e muitas vezes sem o menor sentido, fazendo daí a graça da

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Juliana Paiva e Alice Wegmann se destacam na vigésima temporada de Malhação

A nova "Malhação" está ótima. Após a interessante fase de 2010 (escrita por Emanuel Jacobina) e a fracassada história de 2011 (escrita por Ingrid Zavarezzi), a Globo acertou ao nomear Rosane Svartman para comandar a vigésima temporada. A autora sabe retratar o universo adolescente com propriedade e não fez sucesso por acaso ao escrever o filme "Desenrola" --- longa-metragem que apresentou justamente esse mundo para o público. A nova fase é leve, agradável e apresenta uma história de fácil identificação com universo jovem. Mas entre tantos pontos positivos, é preciso destacar duas atrizes que estão merecendo muitos elogios: Juliana Paiva e Alice Wegmann.


Fatinha e Lia são carismáticas e não foi surpresa a paixão que ambas despertam no público. A periguete e a roqueira protagonizam cenas ótimas e são personagens muito bem escritas, com tramas atraentes. Fica claro que ambas centralizam a maioria dos conflitos da novelinha, o que pode não ser um mero acaso, uma vez que as atrizes escolhidas são as adolescentes mais 'experientes' da trama.

Juliana Paiva e Alice Wegmann entraram na "Malhação" após algumas participações. Juliana esteve no elenco de apoio em "Cama de Gato", participou do filme "Desenrola" e conquistou um papel de relativo destaque em "Ti ti ti", onde viveu a mimada Valquíria. Já Alice estreou na décima-oitava temporada da mesma "Malhação" (2010), estando presente justamente na

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Laço de amizade entre Laura e Isabel: um dos acertos de Lado a Lado

Falta pouco para que "Lado a Lado" inicie sua segunda fase. A novela de João Ximenes Braga e Cláudia Lage é primorosa e dá gosto de assistir. Entre os muitos acertos, pode-se dizer que a criação das duas protagonistas foi o maior deles, só perdendo para o casal Laura e Edgar. São duas jovens guerreiras, fortes,   destemidas, amigas, sofredoras e que caminham à frente do seu tempo. Laura e Isabel não ocupam o núcleo central da trama por acaso; não estão lá sem ter nada de interessante para mostrar, muito pelo contrário. O telespectador se interessa pela história de vida delas.


Laura é uma jovem professora que luta pelos direitos dos mais fracos, apesar de ser filha de poderosos, representantes da elite conservadora. É totalmente avessa aos preconceitos da época (que ainda estão presentes nos dias de hoje, infelizmente) e mantém uma forte amizade com Isabel; esta iniciada após um conturbado encontro na igreja, onde ambas se casariam com seus respectivos noivos. Já Isabel tem características muito semelhantes às da melhor amiga: gosta de trabalhar, luta pela independência financeira e não abaixa a cabeça para os preconceituosos.

No atual momento da novela, o telespectador está podendo acompanhar o calvário das duas. O título "Lado a Lado" nunca esteve tão apropriado. Enquanto Isabel sofre ao achar que perdeu seu filho com Albertinho no parto, Laura entra em desespero ao descobrir que Edgar tem uma filha com outra mulher. Se anteriormente Laura enfrentava um

sábado, 27 de outubro de 2012

Gabriela chega ao fim e mostra que Walcyr Carrasco está apto a estrear no horário nobre

A nova adaptação de "Gabriela" terminou na noite dessa sexta-feira (26/10) e encerrou com chave de ouro mais um sucesso de Walcyr Carrasco. Com um último capítulo onde Coronel Ramiro Bastos (Antônio Fagundes) morre no meio da praça; Mundinho (Mateus Solano) e Gerusa (Luiza Valdetaro) finalmente se casam; uma nova política chega em Ilhéus e Nacib (Humberto Martins) perdoa Gabriela (Juliana Paes); o telespectador pôde se emocionar com os finais felizes e não se arrependeu de ter acompanhado esse remake desde a estreia.


O autor modificou a história em vários aspectos e deu uma nova roupagem à obra de Jorge Amado. Ao inserir personagens cativantes como Lindinalva (Giovanna Lancellotti), Dona Dorotéia (Laura Cardoso), Juvenal (Marco Pigossi) e Berto (Rodrigo Andrade), por exemplo, Walcyr aumentou as possibilidades da novela, o que gerou uma resposta imediata do público: o núcleo acabou virando um dos mais queridos e os atores foram excelentes. Outro acerto foi aumentar o destaque de Coronel Jesuíno, que mal aparecia no livro, e acabou tendo uma grande importância na novela, presenteando o telespectador com o show de José Wilker. Vanessa Giácomo, mais uma talento, fez uma Malvina  revolucionária e apaixonante --- pena que não tenha aparecido  no último capítulo. Já Fabiana Karla surpreendeu ao compor sua Olga e convenceu. Gero Camilo fez um Miss Pirangi sarcástico e foi ótimo ver acompanhar o mistério sobre o misterioso par do 'invertido' ---  Coronel Amâncio (Genésio de Barros),  filho de Dorotéia, um sujeito hipócrita e machista, mas que se redimiu no fim.

No entanto, nem tudo foram flores. A protagonista da trama não emplacou e Juliana Paes, apesar de ser uma boa atriz, acabou não convencendo ao viver Gabriela. Tinha momentos onde a personagem não aparentava inocência, mesclada com sensualidade, e sim que tinha problemas mentais. O excesso de sorrisos também prejudicou. Outro que errou feio foi

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

José Wilker e Laura Cardoso: os grandiosos destaques de "Gabriela"

A nova versão de "Gabriela", escrita por Walcyr Carrasco, entra em sua última semana de exibição. O telespectador já sente o final se aproximando e começa a se despedir dos personagens presentes na obra de Jorge Amado. Muitos se destacaram, outros se apagaram e alguns nem serão lembrados. Mas entre os muitos atores que brilharam, dois foram os grandes destaques e protagonizaram um festival de cenas ótimas nessa nova adaptação: José Wilker e Laura Cardoso. 


Coronel Jesuíno e Dona Dorotéia já mostraram que se destacariam logo na primeira cena. José Wilker e Laura Cardoso são dois atores consagrados e já fizeram inúmeros trabalhos na televisão, teatro e cinema. Ou seja, estão em um patamar muito elevado e não precisavam provar mais nada para ninguém; no entanto, ambos conseguiram surpreender o telespectador a cada cena que era exibida.

Embora o livro não tenha destacado muito a história de Jesuíno, na novela essa situação foi alterada, dando novos rumos e ocorrendo exatamente o contrário: o personagem cresceu e o público pôde acompanhar a atuação magnífica de José Wilker; que conseguiu compor um sujeito machista, violento, frio e intolerante da forma mais genial possível. A sequência em que o Coronel flagra sua esposa, Dona Sinhazinha, nos braços do amante, acabou sendo uma

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Salve Jorge estreia com clima de "vale a pena ver de novo"

Estreou nessa segunda-feira (22/10), escrita por Glória Perez e dirigida por Marcos Schechtman, a nova novela do horário nobre: "Salve Jorge". Embora digam exatamente o contrário, é muito pior para os autores estrearem um trabalho após um estrondoso sucesso; uma vez que após um fracasso, pode até ser difícil recuperar a audiência, mas a aceitação acaba sendo bem mais rápida. E substituir o fenômeno "Avenida Brasil" será complicado, embora Glória já esteja acostumada a esses desafios --- "Caminho das Índias" foi ao ar logo após "A Favorita", sucesso de público e crítica, também escrita por João Emanuel Carneiro.


A nova trama começou apresentando belas imagens, através de um voo panorâmico sobre a Turquia. Logo após, o telespectador  já pôde conhecer Morena, a protagonista. A personagem estava sendo leiloada e vários homens endinheirados disputavam seu passe. Um  interessado ofereceu 3.500 euros pela moça.  Após sair do foco das atenções e ser substituída por outra garota, esta muito à vontade, Morena foge e sai correndo pelas ruas gritando por socorro. Cortam a cena e exibem o aviso: 'Oito meses antes'. A partir daí  o público começa a acompanhar a retomada do Complexo do Alemão pelas Forças de Pacificação do Rio de Janeiro, fato que realmente aconteceu pouco tempo atrás.

Ao apresentar logo no início da novela uma história que ainda irá acontecer, além de ter sido uma medida louvável e criativa, acabou instigando o telespectador a querer saber como a mocinha foi parar naquela situação no mínimo estranha. Enquanto ocorre o processo de pacificação, alguns personagens começam a ser

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Avenida Brasil: a novela que congelou o país e consagrou João Emanuel Carneiro

Há alguns anos atrás, quase todas as novelas do horário nobre da Rede Globo conseguiam parar o Brasil e gerar índices absurdos de audiência. Mas os tempos mudaram e a queda dos índices ficaram nítidas. O que não significa que o país está vendo menos televisão, longe disso. Só que graças à internet, televisão no celular e à possibilidade de assistir ao seu programa predileto no horário que bem entender, fez com que o telespectador não se visse mais preso à tevê. Antigamente, a média mínima que a emissora exigia era: 30 pontos às 18h, 35 pontos às 19h e 45 pontos às 21h. Hoje os números mínimos passaram para: 25, 30 e 40, respectivamente, demonstrando uma menor exigência da empresa. Entretanto, deixando o passado de lado, podemos dizer que "Avenida Brasil" foi uma novela que fez o Brasil voltar no tempo. A correria para chegar em casa e assistir ao último capítulo estava de novo presente e o desfecho da trama congelou o público, deixando ruas vazias na hora do aguardado final.


A novela obteve 52 pontos no último capítulo, índice superior ao de "Fina Estampa", que conseguiu 47 no dia de seu desfecho. Porém, se levar em consideração a quantidade de gente que viu a trama em um mesmo local, reunidas com amigos, família, ou até mesmo em bares, cinemas e teatros; esse índice ultrapassaria os 60 pontos facilmente. O país esteve diante de um sucesso de repercussão. É inegável, até mesmo para os poucos críticos, que "Avenida Brasil" foi uma novela que conquistou o público e fez até telespectador que não via novela há anos, voltasse a acompanhar uma história por meses a fio.

Foi um verdadeiro conjunto de acertos. Um elenco reduzido, onde todos os atores tiveram a chance de brilhar; uma trama central densa e instigante; núcleos paralelos que despertaram a simpatia de todos; personagens carismáticos; grandes profissionais envolvidos; direção primorosa; ganchos impactantes e uma agilidade invejável. Foram muitas