sábado, 31 de dezembro de 2011

Feliz Ano Novo

Mais uma vez agradeço a presença de todos os leitores que prestigiaram esse blog e também dou boas-vindas aos que chegaram há pouco tempo. Desejo um ótimo 2012, com muita saúde, paz e sucesso. Espero continuar com a companhia de todos vocês no ano que vem! Até lá!

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Retrospectiva 2011 - Os destaques do ano

Vários sites, revistas, jornais, blog e afins, fizeram votações para eleger os melhores do ano. Este blog tem pouco mais de um ano de vida, e eu nunca cogitei fazer nada parecido. Com o passar do tempo, os leitores foram aumentando e fui postando mais textos. O blog continua humilde, mas é limpinho. Agradeço a vocês pelo carinho e pelos acessos. No Twitter, os leitores costumam ser mais opinativos. E foi lá que começaram a aparecer sugestões para que eu fizesse a minha retrospectiva. Resolvi seguir o conselho. Mas não teremos votação popular, ok? Farei a minha seleção dos melhores do ano. Democracia fajuta essa, não? Talvez, mas estejam à vontade para discordar de qualquer escolha minha. Então vamos deixar de papo e ir direto ao assunto? Vamos!



Melhor novela: Cordel Encantado
Não teve pra ninguém. A trama de Duca Rachi e Thelma Guedes foi um sucesso de público e crítica. A ousada e criativa história da princesa, que se apaixona pelo filho de um cangaceiro agradou a todos. A realeza e o cangaço se misturaram e o resultado foi o melhor possível. As autoras ganharam diversos prêmios até então, e muito merecidamente.



Melhor ator: Marco Ricca
Gabriel Braga Nunes foi o ator que mais ganhou prêmios pela sua atuação em "Insensato Coração", dando vida ao vilão Léo. Acho justo, mas Marco Ricca merece o reconhecimento pelo show que deu no remake de "O Astro", vivendo o terrível Samir Hayalla. Após inúmeros papéis sem a menor importância, o ator finalmente ganhou um personagem de peso e mostrou o grande profissional que é. Portanto, pelo menos nesse blog, o vencedor dessa categoria foi o Marco.





Melhor atriz: Cássia Kiss Magro
Atriz de grande talento que é, Cassia emocionou os telespectadores vivendo uma senhora humilde e que dava duro para sustentar seu filho, que tinha sérios desvios de caráter. Resultado: Dulce foi ganhando cada vez mais destaque e acabou se transformando em protagonista de "Morde & Assopra". E a cena mais marcante da novela foi o momento em que Júlia não se segura, e cai aos prantos ao contar para sua amiga que ela não tinha mais chances de vida. Adriana Esteves e Cássia mostraram o significado da palavra atriz. Cássia merece todos os prêmios possíveis. Pena que até agora só ganhou um. - Observação: Glória PiresRegina Duarte também merecem ser lembradas pelas grandes atuações que tiveram. Norma, de "Insensato Coração e Clô Hayalla, de "O Astro", foram muito bem interpretadas pelas duas grandes atrizes.


Ator revelação: Domingos Montagner
Após uma marcante participação na série "Divã", Domingos foi um dos destaques de "Cordel Encantado". Ao interpretar Herculano, o cangaceiro, pai de Jesuíno (Cauã Reymond), caiu nas graças do público. Teve uma ótima atuação, o que lhe rendeu convites para outras produções da Globo. Estará na minissérie "O Brado Retumbante", que estreia em janeiro de 2012.







Atriz revelação: Vera Mancini
Uma atriz até então desconhecida do grande público, protagonizou cenas hilárias ao lado da talentosa Jandira Martini em "Morde & Assopra". E a empregada Cleonice foi ganhando mais e mais cenas na novela de sucesso do Walcyr Carrasco, até terminar rica e casada com o amor de sua vida. Sem dúvida, a personagem foi um dos pontos altos da trama. A atriz agradou tanto, que já foi escalada para a nova novela de Elizabeth Jhin, "Amor, Estranho Amor".




Melhor atriz coadjuvante: Ana Lucia Torre
"Insensato Coração" foi uma decepção, mas teve seus pontos positivos. Um deles foi a impagável Tia Neném. A personagem era um pinguça fofoqueira e não duraria até a metade da novela. Mas Ana Lucia foi tão magistral e fez tanto sucesso, que os autores resolveram deixá-la até o fim da trama. Tia Neném tinha tiradas ótimas e recheadas de veneno. Ana Lucia Torre a interpretou divinamente. É um prazer vê-la atuar.



Melhor ator coadjuvante: André Gonçalves
Após uma série de personagens que não aconteceram, André recebeu de Walcyr Carrasco um homossexual que fazia da caricatura a sua marca principal. O que poderia ficar irritante ou forçado, acabou transformando Áureo em um dos personagens mais queridos de "Morde & Assopra". Ele e Vanessa Giácomo formaram uma dupla e tanto. O personagem ainda teve um desfecho criativo, fugindo da igreja e terminando com Josué (Joaquim Lopes), ao lado de Elaine (Otaviano Costa) e Sargento Xavier (Anderson Di Rizzi), fazendo shows pelo país.  - Observação: Também destaco os coadjuvantes Herson Capri e Marcos Caruso, que intepretaram com o talento de sempre, o vilão Cortez de "Insensato Coração" e o engraçado prefeito Patácio de "Cordel Encantado", respectivamente.


Melhor série: Divã
Todos sabem que a série de maior sucesso, que estreou esse ano, foi "Tapas & Beijos". As premiações que a mesma tem recebido também são justas. As histórias mostrando a vida de Suely (Andrea Beltrão) e Fátima (Fernanda Torres) são muito divertidas. Mas, na minha concepção, a série que merece mais é "Divã", protagonizada por uma impecável Lilia Cabral. Após ter feito sucesso no teatro e no cinema, as dúvidas e os dilemas de Mercedez também fizeram bonito na televisão. A história conseguia misturar o drama e a comédia com uma naturalidade incrível. - Observação: A terceira temporada de "Força-Tarefa" também merece o destaque. As investigações de Wilson (Murilo Benício) e sua "trupe", prendiam o telespectador e a série tinha uma qualidade ímpar. É de se lamentar seu encerramento.


Melhor programa humorístico: nenhum
O ano de 2011 não foi nada bom para o humor. Piadas de extremo mau gosto, apelações, repetições, e criatividade escassa. Foi duro o telespectador conseguir se divertir diante da tevê. "Pânico na Tv", "CQC", "Legendários", "Zorra Total", enfim, nenhuma dessas atrações merece elogios. É verdade que o "Zorra" conseguiu muita repercussão esse ano. Janete (Thalita Carauta) e Valéria (Rodrigo Sant`Anna) fizeram, e ainda fazem muito sucesso. Mas como tudo no programa, os bordões já se esgotaram e daqui a pouco o quadro será extinto ou remodelado, como já ocorreu com Lady Kate (Katiuscia Canoro) e afins.


Melhor humorista: Márvio Lúcio
Se por um lado todos os programas de humor andam precisando urgentemente se renovar, por outro, vimos mais uma vez um humorista se destacar. Márvio é um dos pouquíssimos pontos positivos do "Pânico na Tv". Suas imitações de Jô Soares, Amaury Jr., Raul Gil, Dilma, Amim Khader, e de tantos outros que ele faz, são perfeitas. Poucos imitadores no país conseguem fazer caricaturas tão impecáveis quanto ele.


Boa surpresa (1): Amor em 4 Atos
A série divida em quatro capítulos e baseada nas canções de Chico Buarque, que estreou em janeiro, na Globo, foi muito boa. Destaque maior para os dois últimos episódios, protagonizados por Alinne Moraes e Vladimir Brichta, onde Ary se interessa por uma prostituta chamada Vera. Foi a história mais interessante e dividida em dois capítulos.







Boa surpresa (2): Oscar Freire 279
A série exibida no canal pago Multishow, é uma história óbvia, mas que prende o telespectador pela qualidade e boas atuações, de um elenco com nomes conhecidos e outros nem tanto. A trama da jovem que vira prostituta na cidade grande é atraente, e foi, merecidamente, muito elogiada pelos críticos.




Boa surpresa (3): Festival SBT 30 anos
Para comemorar seus 30 anos de vida, o SBT resolveu relembrar dos aúreos tempos em que a emissora era a vice-líder absoluta de audiência e a segunda maior do país. O resultado foi positivo. O telespectador pôde rever os clássicos programas infantis da casa, o fenômeno "Casa dos Artistas", o sucesso das novelas mexicanas ("A Usurpadora", "Marimar" e "Maria do Bairro" são algumas delas) e as boas tramas produzidas pela emissora, como "Éramos Seis", "Fascinação" e "Ossos do Barão", por exemplo.


Boa surpresa (4): A Vida da Gente
Em sua primeira novela, a autora, Lícia Manzo, substituiu a bem-sucedida "Cordel Encantado"  nos apresentando uma trama tão boa quando a anterior, embora com um estilo totalmente diferente. Considerada a nova discípula do Manoel Carlos, Lícia conseguiu um feito e tanto: envolver todos os telespectadores através de uma história bem escrita e com uma sensibilidade rara. O núcleo principal arrebatou torcidas fervorosas. Manuela, Ana e Rodrigo despertaram paixões e fanatismo. Embora a audiência ainda não esteja a todo vapor, uma coisa é certa: a autora tem um futuro promissor na Globo.


Melhor apresentador: Silvio Santos
Silvio continua sendo uma referência para os demais apresentadores do país. Com uma desenvoltura que poucos conseguem ter, o apresentador mais uma vez se destacou. Com ótimas tiradas --- que algumas vezes beiraram a grosseria, diga-se ---, Silvio faz do "Programa Silvio Santos" uma ótima opção para as noites de domingo. Não foi por acaso, que a atração conseguiu atingir várias vezes a liderança no horário.



Melhor programa: Profissão Repórter
O programa, comandado pelo jornalista Caco Barcellos, continua sendo uma das melhores atrações jornalísticas da Globo. Apesar de curto e do horário ingrato, a atração sempre nos apresenta ótimas reportagens e os repórteres "estagiários" são, quase sempre, seguros e competentes. O "Profissão Repórter" é tudo o que o "Globo Repórter" deveria ser, mas não é, infelizmente. Se há tempos atrás o jornalístico comandado por Sérgio Chapelin era voltado mais para o lado investigativo, hoje prefere só falar de animais e saúde, com raras exceções.


Bem, tentei fazer um resumo do que de melhor eu vi esse ano na televisão brasileira. Sem dúvida, vários atores e atrizes talentosos acabaram ficando de fora. Novamente eu repito: estejam à vontade para discordar e apontar o que ficou faltando ou o que não foi mencionado. Nos vemos em 2012.

Links relacionados: Esquenta!: uma desorganização organizada
                              Portugal é aqui
                              A deselegância de Aguinaldo Silva
                              Lara com Z não agrada
                              Vídeo Show não é mais o mesmo
                              Supernanny nunca teve a atenção adequada do SBT
                              A consagração de Regina Duarte

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

A consagração de Regina Duarte

O último "Domingão do Faustão", exibido no domingo passado, nem parecia o programa enfadonho e com cada vez menos criatividade que o telespectador está acostumado a ver. É bem verdade, que a atração comandada por Fausto Silva, sempre prima pela qualidade em dois momentos específicos: quando há a entrega do Troféu Mario Lago e no especial dos Melhores do Ano. E essa regra mais uma vez se confirmou. A homenagem feita para a eterna namoradinha do Brasil foi perfeita.

Nada mais justo que homenagear a grande Regina Duarte, no ano em que as telenovelas completam sessenta anos de vida. Em meio a tantos prêmios, que parecem ter como único objetivo frustrar o telespectador mais exigente, dando estatuetas a atores que tiveram interpretações totalmente equivocadas, para não dizer péssimas, foi um prazer assistirmos a uma premiação tão merecida.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Feliz Natal

Quero desejar um Feliz Natal a todos os leitores que acompanham esse blog. Tenham muita saúde, paz, alegrias e realizações. E obrigado por prestigiarem esse espaço.

A Vida da Gente: uma novela em que o homem não tem vez

A trama da talentosa Lícia Manzo continua ótima de se ver. Difícil não se envolver com os personagens. A autora escreve uma história tão realista e humana, que acabou criando torcedores fervorosos que defedem Ana e Manuela com unhas e dentes. Mas a novela tem pecado em um ponto: há um favorecimento explícito das figuras femininas e desvalorização clara das figuras masculinas.

Praticamente todos os homens da novela são inferiores às mulheres. Jonas, por exemplo, vivido pelo talentoso Paulo Betti, já demonstrou que a honestidade não é muito a sua praia. Além, claro, de ignorar seus filhos e toda a sua família. Seu fiel escudeiro, Klebber (Tadeu di Pietro), é um bocó. Mas é importante destacar que as cenas protagonizadas pelos atores são muito divertidas.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Esquenta!: uma desorganização organizada

Desde a ida de Fausto Silva para a Globo, que a emissora tinha o cada vez mais desgastado "Domingão do Faustão" como o único programa de auditório aos domingos. Mas com o crescimento da tão falada classe C, a empresa acabou investindo em uma atração que foi criada claramente para esse público: o "Esquenta!".

O programa era para ter sido um especial, mas, devido ao sucesso, acabou recebendo mais atenção e passou a ser exibido em regime de curtas temporadas. Regina Casé, além de boa atriz é uma ótima apresentadora. Até aí nenhuma surpresa. Basta se lembrar do seu bom desempenho em programas como o "Brasil Legal" (1995), "Muvuca" (1999), "Um pé de quê?" (2001) e "Central da Periferia" (2006). A apresentadora sabe como ninguém se comunicar com o povão, como a própria gosta de dizer.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Portugal é aqui

Que o Brasil é o país das novelas, todos sabemos. É referência em todo o mundo e merecidamente, diga-se. Um dos países que mais admiram e consomem a nossa teledramaturgia é Portugal. Os portugueses as acompanham graças a um acordo da Rede Globo (principal produtora do gênero) com a SIC --- emissora portuguesa que também tem um núcleo de dramaturgia. E por isso mesmo não é por acaso que temos visto vários atores portugueses marcando presença em nossas produções.

É bem verdade que essas participações acontecem há muito tempo. Em 1970 --- época em que a SIC nem sonhava em existir (foi criada em 1994) --- , os atores portugueses Laura Soveral e Tony Correira participaram da novela "O Casarão" (Globo). O ator ainda marcou presença em outras novelas como "Locomotivas" na Globo e "Aritana" na Tv Tupi, até voltar para Portugal e só retornar ao Brasil anos depois em pequenas participações.

domingo, 11 de dezembro de 2011

As paixões que A Vida da Gente desperta

Apesar de ainda enfrentar dificuldades nos números de audiência (embora tenham apresentado uma boa melhora, os índices andam abaixo do esperado), "A Vida da Gente" conseguiu um feito e tanto através de sua história bem contada: envolver os telespectadores e despertar uma paixão que muitas vezes beira o fanatismo.

Com o despertar de Ana (Fernanda Vasconcellos), a relação de Manuela (Marjorie Estiano) e Rodrigo (Rafael Cardoso) ficou estremecida. A história central da novela viveu seu ápice nos últimos capítulos quando a ex-tenista descobre através de Eva (Ana Beatriz Nogueira) que sua irmã estava casada com o amor de sua vida.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Está na hora de Aquele Beijo mostrar a que veio

A novela do talentoso Miguel Falabella ainda não atingiu a meta para o horário das 19h. Vem marcando em torno dos 27/28 pontos. Nada de desesperador, uma vez que essa dificuldade inicial ocorre em quase todas as obras. O que chama atenção até agora é a falta de acontecimentos de grande relevância na trama. A novela está longe de ser arrastada, mas os núcleos parecem não sair do lugar.

O envolvimento do casal protagonista até agora não aconteceu. Cláudia e Vicente estão comprometidos com seus respectivos parceiros e os conflitos que os rodeiam não são muito empolgantes. Giovanna Antonelli está ótima no papel e Ricardo Pereira tem apresentado seu melhor desempenho até então, mas boas atuações não se garantem sozinhas sem uma situação que realmente desperte um interesse.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Oscar Freire 279: ótima opção para uma segunda-feira à noite

Faz algum tempo que o canal pago Multishow tem optado pela exibição de várias séries nacionais e a maioria voltada para o humor. Algumas são interessantes, como "Adorável Psicose", estrelada pela talentosa Natália Klein (a Nikita de "Macho Man"), por exemplo, e outras nem tanto, como a já encerrada "Será que faz sentido?" protagonizada pelo Felipe Neto.

Mas a série produzida pela emissora que tem se destacado pela qualidade é "Oscar Freire 279". Não é uma história cômica, ao contrário da maioria das produções da casa, e sim um drama vivido pela protagonista Dora (Livia de Bueno, uma grata revelação e totalmente entregue ao papel).

domingo, 27 de novembro de 2011

Malhação: um caso perdido?

A atual fase da "Malhação", que apresenta 'conectados' como subtítulo (e a primeira crítica sobre a temporada você pode ler aqui), enfrenta a pior crise de audiência da sua história. Vem marcando em torno dos 15 pontos e em dias considerados produtivos chega a atingir 18 na média geral. Índices críticos.

Para melhorar esses dados preocupantes várias mudanças no enredo original foram feitas. O telespectador que estava acompanhando com interesse a trama envolvendo a paranormalidade do protagonista (Gabriel - Caio Paduan) --- além dos mistérios envolvendo o número 1046 --- ficou a ver navios. Após ouvirem os grupos de pesquisa da emissora, constaram que essa temática ousada foi rejeitada e seria a causa principal da queda brusca de audiência. Resultado: parte do tema foi solucionado com mais rapidez e o restante dos possíveis mistérios foi jogado para debaixo do tapete. Agora optaram pela volta da mesmice. Os eternos triângulos amorosos e conflitos mais bobildos começaram a ter mais ênfase. Pela busca de um ibope maior a qualidade e a inovação foram deixadas de lado.

domingo, 20 de novembro de 2011

Casos de Família: quando o passado não condena

"O teu passado te condena" é uma frase muito aplicada ao cotidiano de todos. Ela costuma vir à tona quando a pessoa quer intimidar a outra, mostrando que se hoje é ela respeitada, em uma passado distante não era bem assim. Claro que vários programas de televisão se encaixam nessa expressão tranquilamente. Mas o "Casos de Família" pode ser considerado uma das exceções a essa regra.

Quando estreou em 2004, no dia 17 de maio, o programa era apresentado pela competente Regina Volpato. A atração sempre se baseou em contar os problemas que convidados estavam atravessando --- traições, pensões atrasadas, violência doméstica, briga de vizinhos etc --- e havia a interferência da plateia através de perguntas e questionamentos, além de uma opinião final de uma psicóloga (Anahy D`Amico).

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A Vida da Gente emociona sem fazer esforço

Após 45 capítulos, "A Vida da Gente" teve a sua tão esperada passagem de tempo. Antes desse fato acontecer, a novela teve uma clara diminuição de ritmo. Mesmo assim, ao contrário do que acontece com as fatídicas 'barrigas' da maioria das novelas, não vimos diálogos avulsos ou cenas desnecessárias. Tudo que era mostrado tinha um objetivo específico. Tanto para mostrar o início da linda relação de amor entre Manuela (Marjorie Estiano) e Rodrigo (Rafael Cardoso); quanto pelos demais acontecimentos envolvendo Vitória (Gisele Fróes), Marcos (Ângelo Antônio), Dora (Malu Galli), o estado de coma de Ana (Fernanda Vasconcellos), o início do próspero negócio de Manu e Maria (Neusa Borges), enfim.

Lícia Manzo criou uma história tão linda e tocante que conquista facilmente o telespectador, e o 'mergulha' naquela gama de sentimentos em que os personagens estão envolvidos. Os atores, obviamente, também são grandes responsáveis por isso. Não há um só capítulo que não se tenha ao menos uma cena que emocione a todos que estão assistindo.

domingo, 13 de novembro de 2011

O problema do Zorra Total é a repetição

No dia 25 de março de 1999, estreou na Rede Globo um programa que tinha como objetivo ser uma espécie de "A Praça é Nossa" da emissora. Escolheram um nome que qualifica muito bem a atração : "Zorra Total". Vários humoristas da casa se reuniram e nos apresentavam pequenas cenas (esquetes) --- e normalmente com um bordão incluído para cada personagem. Apesar de ter sofrido algumas reformulações ao longo do tempo, essa característica permanece até hoje.

Desde a sua estreia, o "Zorra Total" vem nos apresentando um tipo de humor que é constantemente criticado. Apesar das duras críticas, a atração sempre foi um sucesso de audiência. Nunca se viu ameaçado pela concorrência (embora a mesma nunca tenha tido competência para enfrentá-lo de igual para igual), e é o programa humorístico que mais gera repercussão no país. Vários talentos já foram revelados ali.

domingo, 6 de novembro de 2011

Macho Man retorna com o mesmo fôlego de antes

A série, escrita pelos talentosos Alexandre Machado e Fernanda Young, sempre apresentou qualidade e, claro, o humor ácido característico dos autores desde a sua estreia. Não foi à toa que logo caiu nas graças do público e recebeu vários elogios da crítica especializada. Juntamente com "Divã", "Macho Man" obteve bons índices para a emissora. Outros produtos que estrearam na mesma época não tiveram a mesma 'sorte'. Basta se lembrar de "Lara com Z" e "Batendo Ponto".

Na segunda temporada, vimos Zuzu (Jorge Fernando) se casando com uma milionária excêntrica (Helô-Ingrid Guimarães) e largando o salão de beleza para virar uma espécie de cabeleireiro particular de sua esposa. A perua também acaba comprando uma parte do salão, para o desespero de todos. Valéria (Marisa Orth), indignada com a situação, fará de tudo para que seu melhor amigo, e amante nas horas vagas, largue a perua e volte para a sua vida de antes. Para isso contará com a ajuda de Nikita (Natália Klein), Fréderic(Roney Facchini), Tifany (Luanna Jimenes), Chérri (Rapha Veles) e Venetta (Rita Elmor); a patota que tanto nos diverte.

A Mulher Invisível procura sair do óbvio

Após uma primeira temporada de sucesso, obtendo ótimos números de audiência, "A Mulher Invisível" retornou à grade da Globo na última terça-feira. Pelo que foi observado, Pedro e Clarice continuam com seus problemas de convivência, mas dessa vez vimos um 'algo a mais'.

No primeiro episódio,pudemos notar que os roteiristas tiveram uma boa ideia em criar um homem invisível para Clarice. Agora a empresária certinha também idealizou a pessoa dos sonhos, assim como o Pedro fez ao 'criar' a Amanda. Dentro de um universo tão limitado quanto o da série,apareceu uma luz no fim do túnel. Em comparação com a primeira temporada(cuja crítica você pode ler aqui),observamos que a trama evoluiu bastante.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Força-Tarefa volta com a qualidade de sempre

Após duas temporadas de sucesso mais do que merecido, "Força-Tarefa" retorna à grade da Globo ocupando o horário de "O Astro"(cuja crítica você pode ler aqui ), que por sua vez havia entrado no lugar das já características séries da emissora.

Agora,a atual temporada irá abordar uma linha mais investigativa e focará nos problemas emocionais do Tenente Wilson, vivido por um impecável Murilo Benício. Pelo que observamos no primeiro episódio, o protagonista foi promovido e agora é Capitão, mas se encontra em um momento catastrófico em sua vida pessoal e também na profissional. Depois de prender um sargento que roubava eletrodomésticos das casas de moradores, em uma favela ocupada pela UPP, Wilson é ameaçado de morte e posteriormente vê seus amigos e companheiros de farda serem brutalmente assassinados. Com a morte de Irineu, Selma e Oberdan; Juliano Cazarré, Hermila Guedes e Henrique Neves deixaram a série. A saída da atriz é de se lamentar, já que era uma ótima personagem e Hermila sempre se destacava com sua boa atuação.

domingo, 30 de outubro de 2011

Fina Estampa: uma sucessão de equívocos

Com pouco mais de dois meses no ar, "Fina Estampa" já conseguiu um feito e tanto: ter uma audiência que há tempos a Globo não obtinha no horário desde o início de uma obra. É normal que todas as novelas apresentem dificuldades iniciais nos números do ibope até realmente emplacar e cair nas graças do público. Mas isso não ocorreu com a trama de Aguinaldo Silva, que não se cansa de elogiar seu imenso sucesso no Twitter. O autor tem todos os motivos para comemorar, mas nesse caso a audiência não reflete em nada a qualidade.

Até agora a novela não mostrou a que veio e nos apresenta um festival de histórias desconexas e nada atraentes. São poucos os personagens que se salvam e que têm algo de interessante a mostrar. Muitos atribuem isso ao fato da trama ter um grande apelo popular. Não é verdade. "Senhora do Destino", "A Indomada", e "Tieta", só para citar algumas, eram imensamente populares e tinham qualidade. Em "Porto dos Milagres" e "Duas Caras", o autor já tinha errado a mão e o que vimos não foi nada interessante. Mas a atual novela das 21h conseguiu superá-las em todos os sentidos.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O Astro: missão cumprida

Na próxima sexta-feira se encerrará o remake de "O Astro", que marcou a estreia do novo horário de novelas da Rede Globo. No início sendo chamada de macrossérie, a obra de Janete Clair, adaptada por Geraldo Carneiro e Alcides Nogueira, acabou se transformando na nova novela das onze. Com os bons resultados obtidos, ano que vem a emissora já decidiu que fará uma nova versão de "Gabriela" adaptada pelo autor Walcyr Carrasco, responsável pelo recente sucesso de "Morde & Assopra".

A nova versão desse clássico de Janete Clair ficará marcada pelo excelente elenco que,em sua maioria, deu conta do recado com maestria. Tato Gabus Mendes, José Rubens Chachá e Marco Ricca fizeram um grande trabalho dando vida a três irmãos nada confiáveis e que sempre invejavam o mais velho, Salomão Hayalla, vivido por Daniel Filho. Marco, aliás, estava precisando de um bom papel há anos. Após tantos personagens submissos e apagados, ele deu um show como o frio Samir Hayalla (cuja crítica sobre sua atuação você pode ver aqui).

sábado, 22 de outubro de 2011

Miguel Falabella manda Aquele Beijo e é correspondido

Estreou nessa semana a nova novela das sete escrita pelo talentoso Miguel Falabella: "Aquele Beijo". A missão do autor não é fácil. Substituir um sucesso como foi "Morde & Assopra" é de uma grande responsabilidade. Mas pelo que vimos até agora, o público correspondeu e se interessou pela nova história que foi apresentada.

Após a fracassada e má compreendida "Negócio da China", o autor resolveu não se arriscar em absolutamente nada. Provavelmente, a dificuldade inicial da trama do Walcyr Carrasco, com os dinossauros e robôs, também acabou assustando Miguel Falabella. Optou-se pelo 'mais do mesmo' em todos os núcleos e situações. O que não é necessariamente ruim. A única ousadia é a narração, com a voz do autor, em alguns momentos. E ainda assim não é uma inovação porque já vimos um recurso semelhante em "As Filhas da Mãe", novela mal-sucedida de Silvio de Abreu.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

O poder das 'tias'

Elas não fazem parte do elenco principal. Não são protagonistas e nem antagonistas. Começam suas participações com pequenas cenas e falas quase sem importância, mas com seus respectivos talentos vão se destacando cada vez mais até virarem grandes 'sensações'. Estou me referindo às tias mais recentes da teledramaturgia: Tia Neném, Tia Magda e Tia Íris.

Em "Insensato Coração", Tia Neném só duraria até a metade da trama. Em uma novela onde tivemos uma verdadeira carnificina e vários personagens eram assassinados, a personagem da grande Ana Lucia Torre teria o mesmo trágico desfecho. Mas graças ao talento dessa excelente atriz, a eterna pinguça foi tendo cada mais mais repercussão e o público, quando soube o que aconteceria com ela,passou a exigir uma mudança na história.Foram atendidos. Tia Neném ficou até o fim com suas ótimas tiradas venenosas. Uma pena que mal apareceu no último capítulo e sua apreensão pela morte de Norma (Glória Pires) não foi explicada, mas isso são águas passadas.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Morde & Assopra fecha seu ciclo e Walcyr Carrasco emplaca mais um grande sucesso

"Morde & Assopra" poderia ter a superação como tema principal. Após sua estreia,a novela foi totalmente desacreditada por parte da crítica e houve uma rejeição do público em relação às temáticas sobre robôs e dinossauros.

O autor, experiente, sabia que poderia correr esse risco e não foi à toa que mesclou novidades com temas já batidos, mas que sempre costumam dar certo em suas obras. A sogra avarenta que atormenta a todos que estão ao seu redor, e humilha sua fiel empregada, é um exemplo. Jandira Martini (Salomé) e Vera Mancini (Cleonice)formaram uma dupla perfeita. A aceitação foi imediata e ambas protagonizarm cenas hilárias,principalmente quando Cleo se 'apropria' dos bens da patroa e fica rica.

O prefeito e a primeira-dama, corruptos descarados, também faziam parte do time reserva que seguraria a novela, enquanto os principais apresentavam dificuldades. Ary Fontoura (Isaías) e Elizabeth Savalla (Minerva) tinham um entrosamento incontestável. As armações da dupla renderam, e, posteriormente, com a briga do casal, vimos uma rivalidade política que tornou as cenas ainda melhores.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Rafinha Bastos e o humor sem limites

O assunto da semana foi o afastamento do Rafinha Bastos da bancada do "CQC". Após fazer mais uma piadinha infeliz, e de péssimo gosto, ao comentar que 'comeria a Wanessa Camargo e seu bebê', a cúpula da Band resolveu tomar providências e punir o humorista de alguma forma. O afastamento temporário foi a única solução.

Essa não foi a primeira vez que Rafinha disse uma piada extremamente ofensiva. Quem não lembra da frase dizendo que mulher feia deveria agradecer caso fosse estuprada, pois estariam lhe fazendo um favor. Porém, nesse caso, a emissora não fez absolutamente nada.

O caso envolvendo o jornalista Boris Casoy também acaba vindo à tona. Ainda está na memória de todos o 'incrível' comentário do jornalista sobre os garis após ouvi-los desejando uma mensagem de fim de ano: "Que merda: dois lixeiros desejando felicidades do alto da suas vassouras. O mais baixo na escala do trabalho". Alguma medida foi tomada em relação a isso? Não.

domingo, 2 de outubro de 2011

Márvio Lúcio: o grande destaque do Pânico na TV

Nessa semana que passou, o "Pânico na TV" completou 8 anos de vida. Ao longo desse tempo, desde a sua estreia, em setembro de 2003, o programa foi crescendo e tendo cada vez mais repercussão e passou a incomodar a concorrência, chegando a ultrapassar o "Fantástico" várias vezes, além de deixar em maus lençóis atrações como "SOS Emergência" e "Batendo Ponto". Isso em se tratando de uma emissora 'modesta' como a RedeTv! é um senhor mérito. Mesmo que atualmente a atração tenha perdido boa parte da criatividade, que era uma de suas principais marcas, o saldo é positivo.

Mas quem foi evoluindo e agora carrega o programa nas costas, é sem dúvida, o Márvio Lúcio, vulgo Carioca. Suas imitações são impecáveis e sempre rendem ótimos quadros. Moraes Moreira, Dilma, Dicesar, Raul Gil, Amaury Junior, Felipão, Dunga, Muricy Ramalho e agora Jô Soares, são algumas de suas imitações mais marcantes. Após comandar por um bom tempo um quadro fixo fazendo o Amaury Dumbo(caricatura engraçadíssima do clássico apresentador), acharam melhor cancelar para não cansar o telespectador. Decisão acertada. E após uma breve pausa, surgiu o Jô Suado para substituir a antiga imitação. Ninguém até então havia conseguido copiar tão bem os trejeitos do Jô. Márvio o imita com maestria e, talvez, seja a único ponto positivo do programa atualmente.
O quadro em si é de uma besteira sem tamanho. Não há uma entrevista e sim trocadilhos completamente infames envolvendo o nome das celebridades. Mas é tão bobo que fica impossível não se divertir.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

A Vida da Gente: beleza em forma de novela

Substituir uma novela de sucesso, como foi "Cordel Encantado", não é uma tarefa fácil. A dura missão ficou nas mãos da novata Lícia Manzo, que não escondia o medo da imensa responsabilidade em suas recentes entrevistas. A autora só havia nos apresentado, até então,a ótima série "Tudo Novo de Novo", exibida em 2009. Era a responsável pela redação final e supervisionada pela experiente Maria Adelaide Amaral.

Na estreia de "A Vida da Gente", Lícia Manzo nos mostrou uma linda história, com personagens ricos e imagens fascinantes. A direção de Jayme Monjardim se fez presente através das paisagens que embelezaram o capítulo. A história central se baseia no conflito que a tenista Ana (Fernanda Vasconcellos)  enfrenta ao se apaixonar, e ser correspondida, pelo irmão postiço Rodrigo (Rafael Cardoso), ao mesmo tempo que se vê pressionada pela mãe Eva (Ana Beatriz Nogueira) a treinar cada vez mais para se tornar uma grande campeã. Gisele Fróes interpreta Vitória, a treinadora rígida e fria. Paulo Betti dá vida ao padrasto (Jonas) que, em crise no casamento, trai a esposa com a sua 'personal trainer' (Cris) vivida pela Regiane Alves. Marjorie Estiano já rouba a cena interpretando a irmã (Manuela) da protagonista que apresenta uma limitação motora.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Cordel Encantado: um sucesso merecido

Hoje à noite "Cordel Encantado" fecha seu ciclo. Após a enfadonha "Araguaia", vimos uma novela ousada e que não teve medo de inovar em nenhum momento. O risco de tudo dar errado era imenso, uma vez que o público costuma ser muito reticente em relação à qualquer tipo de inovação na teledramaturgia. Mas a coragem das autoras valeu a pena e a novela foi um sucesso de público e crítica.

Thelma Guedes e Duca Rachid (na foto acima) conseguiram emplacar o terceiro sucesso em suas respectivas carreiras, levando-se em consideração de que ambas só escreveram três novelas até então. O remake de "O Profeta", sob a supervisão de Walcyr Carrasco, e "Cama de Gato" que também fizeram bonito no horário das 18 horas. Em termos de futebol diríamos que elas têm 100 % de aproveitamento no campeonato.

domingo, 18 de setembro de 2011

Vídeo Show não é mais o mesmo

O "Vídeo Show" sempre foi um dos melhores programas da Rede Globo. Estreou no dia 20 de março de 1983 e tinha como marca registrada apresentar os bastidores das novelas e demais produções da emissora. Mas em busca de 'inovação' a atração começou a sofrer várias mudanças no formato e foi perdendo sua identidade.

O programa já teve vários apresentadores,mas o mais marcante foi, sem dúvida, Miguel Falabella. Quando resolveu sair do comando (em 2002), Miguel passou o bastão para as mãos de André Marques que acabou segurando o posto bom um bom tempo e de uma maneira competente. Mas foi em 2009 que a atração começou a se perder.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

A deselegância de Aguinaldo Silva

Que Aguinaldo Silva é ávido por polêmica todos estão cansados de saber. Ele sempre criticou tudo e todos como se fosse uma espécie de 'Deus'. Apresentadores, jornalistas, atores, diretores, e os próprios colegas autores já foram alvos de sua língua ferina. Atualmente quem vem sofrendo constantemente com acusações de plágio, vindas dele, é Walcyr Carrasco, autor de "Morde & Assopra".

Desde que a novela das 19 horas estreou que Aguinaldo vem acusando Carrasco de tê-lo copiado a partir de uma conversa que ambos tiveram em um jantar. O motivo da indignação é Dulce, vivida brilhantemente pela Cássia Kiss. A personagem tem uma história muito semelhante com a de Griselda que é interpretada pela igualmente competente Lília Cabral em "Fina Estampa".

domingo, 11 de setembro de 2011

Hipertensão se encontra ao abolir provas escatológicas

Novamente sob a direção do Boninho, estreou na Globo, nessa quinta-feira, a terceira temporada do reality "Hipertensão". O que vimos foi praticamente o mesmo programa da temporada passada, inclusive com provas quase iguais, como a do helicóptero,por exemplo, mas com um maior enfoque na convivência e articulações dos participantes.

Glenda Kozlowski se mostrou bem mais à vontade na apresentação,ao contrário da fase passada onde o nervosismo e a insegurança, pelo menos inicialmente,eram visíveis. Ela procura se mostrar totalmente distante dos candidatos, mostrando uma seriedade necessária numa competição onde a adrenalina está presente 24 horas.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Cordel Encantado peca pela repetição

Que "Cordel Encantado" é uma novela de sucesso e de qualidade ímpar,todos já sabemos. Mas nas últimas semanas, temos visto que a trama das grandes autoras Duca Rachid e Thelma Guedes tem andado em círculos e nos apresentado situações extremamente repetitivas.

Desde que o vilão Timóteo(Bruno Gagliasso, numa interpretação forçada) se tornou 'rei' de Brogodó, temos observado que a novela apresentou uma grande estagnada. Se antes tínhamos uma sucessão de acontecimentos e muita agilidade, agora vemos uma situação completamente oposta.

domingo, 4 de setembro de 2011

Malhação se conecta com o sobrenatural e acerta em cheio

Após o término da bem-sucedida temporada passada,protagonizada por Bruno Gissoni e Daniella Carvalho, "Malhação" resolveu apostar nos mistérios envolvendo o número 1046 e em fenômenos sobrenaturais.

Logo no início da fase,vimos uma garota (Alexia-Bia Arantes) correndo por vielas escuras numa noite chuvosa tentando achar o tal número. De repente, ela começa a ser perseguida pelo seu namorado (Douglas-Pierre Baitelli, ator revelado em"Cinquentinha"). Porém,ele já havia falecido tempos atrás. Seria um espírito? Um mero sonho da menina? Uma recordação? Só saberemos ao longo da novelinha.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

O Show de Marco Ricca

Desde que "O Astro" estreou como a nova novela das onze, que os telespectadores têm sido presenteados com uma verdadeira constelação de grandes atores. Praticamente o elenco inteiro está ótimo e muito entrosado. Mas tem um ator que está se destacando. Seu nome é Marco Ricca.

Esse excelente ator,que já fez diversos filmes,novelas e peças teatrais,começou na Globo na novela "Renascer", teve pas sagens pelo SBT (onde participou da inesquecível "Éramos Seis") e Band, até voltar em definitivo para a maior emissora do país.

sábado, 27 de agosto de 2011

Fina Estampa não entusiasma e parece um déjà vu

Após o término de "Insensato Coração", estreou nessa segunda-feira, dia 22, "Fina Estampa", do sempre polêmico Aguinaldo Silva. Depois de passar muito tempo criticando seus colegas autores, o mentor da atual novela das 21 horas, passou da condição de 'pedra' para 'vidraça'.

O que vimos até agora não é nada animador. A trama central se baseia no chavão da mãe batalhadora que é humilhada pelo filho ambicioso e bonitão. A mulher em questão atende pelo nome peculiar de 'Griselda' e é interpretada pela grande Lília Cabral. Essa situação lhe parece familiar? Óbvio que sim,uma vez que é praticamente o mesmo enredo de um dos núcleos de "Morde & Assopra", onde vemos a humilde Dulce (Cássia Kiss) sendo destratada pelo filho Guilherme (Klebber Toledo). Porém,ao contrário do que Aguinaldo espalhou aos quatro cantos,Walcyr Carrasco não o copiou. Isso é tão clichê que já foi abordado em várias novelas. Maria de Fátima não fazia o mesmo com sua mãe em "Vale Tudo"? São tantas situações iguais que não vale a pena citá-las, já que se perderia muito tempo.

sábado, 20 de agosto de 2011

Término de Insensato Coração foi tão decepcionante quanto o seu início

Hj assistimos ao último capítulo de "Insensato Coração", que marcou 47 pontos de média e 70% de share,índice muito baixo para um último capítulo. A anterior, "Passione", marcou 52 pontos de média e 77% de share.

Não vimos nada de surpreendente. A assassina de Norma era mesmo a Wanda. Apesar de óbvio,acabou sendo coerente com toda a história contada e não chegou a ser decepcionante. Natália do Valle roubou a cena. Houve uma falha grave na hora em que a sequência é refeita. Norma ao invés de dizer:"Não faça uma besteira dessas", diz: "Não faça uma bobagem dessas".

O final do casal homossexual foi bacana, mas a paternidade do Kléber (Cássio Gabus Mendes), jamais poderia ter sido explorada somente no penúltimo capítulo. Se tivessem desenvolvido essa trama ao longo da novela,com certeza teríamos boas sequências entre ele e Louise Cardoso. O que acabamos vendo foi uma correria e forçação de barra com um homofóbico ferrenho que aceitou seu filho bem mais rápido do que se esperava. Claro que isso só ocorreu por causa da pressa.

Os autores simplesmente ignoraram o nervosismo de Tia Neném (que apareceu por uns 30 segundos nesse último capítulo), Eunice, Ismael e Fabíola no dia do crime. Não explicaram o porquê daquilo. O telespectador que se vire. Também não vimos a reação dos demais, a não ser Raul e Marina, ao saberem que Wanda é quem tinha matado Norma. Léo foi preso,mas não foi mostrada a reação dele ao ver o Cortez e o Ismael no mesmo presídio. Aliás,seu assassinato prometia muito mais. A cena foi corrida e sem adrenalina nenhuma. E o término do sequestro de Marina? Constrangedor. Se o objetivo era ter suspense ou ação, ficaram devendo absurdamente.

O excesso de cenas do André também irritou. Acrescentou  alguma coisa sabermos que ele não ficou impotente? As participações das ótimas Leandra Leal e Isabel Fillardis não foram valorizadas. Pedro e Marina, como sempre enjoaram bastante. Natalie teve um desfecho verossímil, observando o país em que vivemos, mas foi praticamente o mesmo da Bebel (Camila Pitanga) em "Paraíso Tropical". Criatividade passou longe. Enfim,foi um último capítulo para ser esquecido.

No geral, podemos selecionar os prós e contras de "Insensato Coração.
1)Saldos positivos: 
-Tia Neném roubou a cena e Ana Lucia Torre comprovou pela milésima vez seu talento.
-Thiago Martins  fez um Vinícius aterrorizante e Giovanna Lancelloti foi uma grata revelação.
-A trama do Cortez foi muito bem abordada e Herson Capri junto de Tainá Muller, Eduardo Galvão e Ana Beatriz Nogueira (numa curta participação) foram maravilhosos,apesar das fracas atuações do Jonatas Faro e Deborah Secco.
-Glória Pires foi esplêndida e Gabriel Braga Nunes mostrou a que veio com o psicopata Léo. Cristina Galvão merece ser lembrada.Ótima.
-A homofobia foi bem conduzida e o casal homossexual idem,apesar da censura da própria emissora.
-Bibi e Douglas agradaram.

2)Saldos negativos:
-Grandes atores tendo um destaque pífio,como: Nathalia Timberg, Norma Blum, José Augusto Branco, Bete Mendes, Rosi Campos, Louise Cardoso (embora tenha tido mais destaque na reta final) e Tarcísio Meira (só apareceu mais nos capítulos anteriores à sua morte).
-Excesso de assassinatos sem propósito. Nada contra mortes em novelas,mas desde que tenha uma razão.Morreram 25 personagens ao todo.
-Entre-e-sai de personagens que cansou e distanciou o público.
-Tramas absurdas, como o espermatozóide mutante do Pedro que vive 24 horas fora do corpo, dentro de uma camisinha numa lixeira.
-A novela demorou quase seis meses para engrenar com a vingança de Norma.
-Vingança essa que se perdeu com as constantes repetições e depois com Norma caindo novamente na lábia do Léo.
-André foi um dos personagens mais ridículos e inverossímeis da trama.
-Pedro e Marina formaram um dos casais protagonistas mais insuportáveis dos últimos tempos.


Gilberto Braga considera "Insensato Coração" a sua melhor novela, pois não teve barriga e foi repleta de cenas de ação. O que mais teve ali foi barriga. A verdade é que essa novela é a pior do autor e a parceria com o Ricardo Linhares não foi feliz, após ter rendido a interessante "Paraíso Tropical". Agora a 'bola' está com "Fina Estampa". Que venha Aguinaldo Silva!


                                                                                                                                        

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

"Spoilers" : mocinhos ou vilões?

Os "spoilers" sempre foram o terror dos autores de novelas. As tramas que se utilizam de suspenses,além do tradicional "quem matou" sempre são as mais visadas pela imprensa. É um problema que parece não ter fim, uma vez que os "vazamentos" ocorrem de dentro da própria emissora, muito provavelmente por integrantes das próprias produções envolvidas.

A questão é: as pessoas gostam de saber o que irá acontecer nas novelas? Li no blog do jornalista Maurício Stycer, que foi feito um estudo onde dois pesquisadores do departamento de Psicologia da Universidade da Califórnia em San Diego, verificaram que as pessoas gostam de "spoilers" em livros. Isso chega a ser surpreendente. Não conheço ninguém que goste de saber o que vai acontecer no filme que irá ver no cinema ou sobre o final do livro que está lendo. Mas ao mesmo tempo em que há a reclamação sobre essa divulgação antecipada, é notório que todas as revistas que falam sobre novelas vendem feito água. Ou seja,há uma grande contradição, ou até mesmo incoerência. Será que tudo não se trata de uma grande hipocrisia? Ao mesmo tempo que reclamam, não perdem uma chance sequer de procurar se informar sobre o futuro da novela em questão.Confere?

O debate começou a acontecer nessas últimas semanas, onde há uma verdadeira enxurrada de notícias sobre "Insensato Coração". Gilberto Braga e Ricardo Linhares tentaram driblar a imprensa,mas de nada adiantou,como sempre.Tudo que foi divulgado está realmente acontecendo.Entendo perfeitamente a frustração dos autores. Silvio de Abreu sofreu do mesmo mal com "Passione ", só pra citar a mais recente.

Se a novela não tem nenhum tipo de suspense ou algo do tipo,não vejo nada demais na divulgação do que irá ocorrer, mas mudo totalmente de concepção quando a trama aborda exatamente isso. Os "spoilers" diminuem a audiência das produções? Não,mas que dissipam o impacto,é óbvio.

Cito como exemplo a excelente série "A Cura", exibida ano passado pela Globo e escrita pelo competente João Emanuel Carneiro. Uma das grande revelações era de que Otto (Juca de Oliveira) não era o injustiçado que todos os telespectadores achavam e sim um psicopata frio. Se isso tivesse sido divulgado antes,teríamos tido algum "choque" com essa virada da história? "A Favorita", novela do mesmo autor,também pode ser usada para exemplificar o 'mau' dos "spoilers". Se já soubéssemos desde o início que Flora era a grande vilã, as cenas que nos induziam a achar que Donatella era a pérfida, não seriam inúteis?

Bem,o debate está aberto. Você é contra ou a favor a essa divulgação antecipada de tudo o que vai ocorrer?

domingo, 14 de agosto de 2011

Amor & Sexo: entretenimento puro

O programa, apresentado pela Fernanda Lima, estreou em 2009 no dia 28 de agosto, e sempre teve como objetivo falar sobre sexo. Reagiu-se com um pouco de estranheza no instante em que a Globo começava a anunciar a novidade na sua programação.Afinal, essa temática nunca havia sido abordada com amplo destaque na emissora.

No entanto,o resultado não poderia ter sido melhor. Fernanda Lima conduziu a atração com muita competência e conseguia deixar os convidados bem à vontade diante de perguntas imensamente íntimas.

O principal quadro é o "Strip Quiz", onde dois casais se enfrentam numa disputa onde eles têm que responder  a várias perguntas sobre sexo. Se alguém da platéia discordar, a apresentadora tira uma peça de roupa de uns manequins, localizados na frente de cada participante. O jogo fica sem segundo plano,já que o objetivo é falar das intimidades dos casais.

Fernanda Lima é uma ótima apresentadora e domina o palco com maestria. Recebe o apoio do Léo Jaime e de sua banda. O músico é uma espécie de Bira (o inigualável baixista do Programa do Jô) que ao invés de rir das piadas, prefere elaborar as suas. Há um bom entrosamento entre eles.

Após algum tempo, Fernanda conseguiu se encontrar na Rede Globo. Antes de ser contratada pela emissora carioca,apresentava diversos programas na MTV, tendo o "Fica Comigo" como principal atração que a projetou. No início,quiseram transformá-la em atriz e o resultado foi um desastre.Enfrentou uma avalanche de críticas na pele da protagonista da malfadada "Bang Bang". Posteriormente ainda insistiram a colocando em "Pé na Jaca", para depois ela mesma se impor e se negar a continuar atuando. Foi a partir daí que ela entrou no lugar da Angélica e comandou o "Video Game" durante a licença-materninade da loura. O sucesso a fez apresentar o ótimo "Por Toda Minha Vida", que ainda continua sendo produzido,até ganhar o "Amor & Sexo".

A boa repercussão do programa o fez ter uma segunda temporada (10 de agosto de 2010), e depois uma terceira (07 de julho de 2011 que ainda está no ar). Tudo indica que também teremos uma quarta temporada. Nada mais justo para um programa que fala sobre um tema tão "complexo" de uma maneira simples,sem didatismos e totalmente despretensiosa.